Nesta quarta-feira, o Co­mercial completa 107 anos de existência e a data será comemorada com uma missa na Capela de Santo Expedito, às 19 horas, no estádio Pal­ma Travassos. Em seguida, diretores, comissão técnica e torcedores irão celebrar o aniversário com um bolo, ao som de ‘parabéns a você’. A comemoração antecede em quatro dias à partida decisi­va contra o São José, no do­mingo, às 10 horas, na Joia. O Leão joga por um empate para conquistar acesso da Se­gundona para a A3.

Um dos símbolos de parte dessa grande história é o ex-goleiro Antônio Carlos Vila­no, o Tomires, que há 39 anos presta seus serviços ao Alvine­gro. Em 1967, depois de jogar por seis anos no XV de Jaú, se transferiu para Ribeirão Pre­to e jogou no Alvinegro até 1970, quando se transferiu para Araçatuba. Apelidado de o goleiro ‘das mãos limpas’, por não usar luvas, o arqueiro fez história em vários clubes do interior paulista, por 18 anos, até retornar para Ribei­rão Preto e assumir funções administrativas no Bafo.

Durante 27 anos, ele foi gerente do Poliesportivo e hoje, além de exercer várias funções, também é secretário do Conselho. “Tenho o maior orgulho de estar no Comer­cial, clube pelo qual sou apai­xonado”, emociona-se.

Aos 73 anos de idade, To­mires é uma espécie de ‘guia’ para quem quer conhecer a história do Leão do Norte. Memória viva do clube, ele faz questão de mostrar todo o seu conhecimento sobre a trajetória do alvinegro e se orgulha de conhecer detalhes da longa e gloriosa história do Comercial. “Espero poder comemorar esse aniversário com um presente muito es­pecial: o acesso a A3”, pede.