O candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) voltou na noite de ontem para o centro cirúrgico do hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde passou por um procedimento que não estava previsto.

Ele foi submetido a uma nova cirurgia para correção de aderên­cias entre as alças intestinais.

Durante a tarde desta quarta-feira (12), Bolsonaro teve náuseas e distensão abdominal. O paciente passou por uma tomografia, que apontou a obstrução.

No boletim da manhã, os médicos informaram a suspensão da alimentação oral por causa do surgimento da distensão abdomi­nal (inchaço do abdômen provo­cado por ar e que é consequência da redução do movimento do intestino). Desde então, ele vinha recebendo alimentação pela veia.

O presidenciável foi operado na úl­tima quinta-feira (6) na Santa Casa de Juiz de Fora (MG), após ter sido atingido por uma facada durante ato de campanha na cidade.

Ao longo da semana, o presiden­ciável demonstrou sinais de evo­lução e passou nesta terça-feira (11) da UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para o CTI (Centro de Terapia Intensiva). Segundo fon­tes ligadas à família, o candidato não passou bem durante todo o dia de ontem.