ALFREDO RISK

O zagueiro Café terá a oportunidade de conquistar a vaga de Michael Douglas, sus­penso por ter recebido o tercei­ro cartão amarelo, na zaga do Comercial no treino coletivo que será realizado na Fazenda Santa Maria. Ele disputa uma posição na defesa menos va­zada na Segundona, com Wa­shington. Café se recupera de uma pequena lesão na perna e parece contar com o prestí­gio do técnico Pinho. “Se ele não sentir nada hoje e amanhã [sexta-feira] vai para o jogo”, afirma o comandante.

Nas demais posições, o téc­nico não tem com o que esquen­tar a cabeça, mas não disfarça a tensão vivida nos últimos dias. O Comercial joga por um empate com o São José para conquistar o acesso à Série A3. “Meu Deus do céu é muita tensão. A gente vem de uma campanha árdua, de um campeonato difícil e não vê a hora disso tudo terminar, pois chegamos ao último degrau dessa escada que parece intermi­nável”, desabafa Pinho.

O comandante diz que o be­nefício de jogar por dois resul­tados iguais, nesta e na próxima fase, quando será conhecido o campeão da competição, é fruto de uma campanha exitosa, com a melhor defesa, melhor ataque e o artilheiro da competição, Gleyson, com 18 tentos assina­lados. “Estamos aqui por mérito, pois só perdemos duas partidas em 27 disputadas até agora, uma para a Francana, por 2 a 0, e ou­tra em Guarulhos, para o Fla­mengo, por 2 a 1”, lembra.

Gleyson
Para o centroavante Gley­son, a motivação está em alta para o jogo de domingo, às 10 horas, em Palma Travassos. Ele argumenta que a equipe tra­balhou o ano todo com muito empenho para que chegasse a esse momento. “Agora é por em prática tudo o que trabalhamos para fazer o nosso melhor jogo da temporada”, destaca.

Ele diz que ampliar o nú­mero de gols na tábua da ar­tilharia será uma consequên­cia da atuação coletiva, mas que está mesmo com o foco voltado para o acesso. “Que­ro ajudar de qualquer forma. Chegar à Série A3 será a rea­lização de um sonho”, afirma.