Fernando Gelfuso -Foto: Rogério Moroti - Agência Botafogo

O diretor de futebol do Bo­tafogo, Fernando Gelfuso, dis­se nesta quinta-feira (13) que a reapresentação do elenco do Tricolor, em férias desde a quar­ta-feira (12), deverá ocorrer em meados de novembro, ou seja, um período superior a dois meses, exatamente 63 dias. Esse período coincide com o encer­ramento de contratos de vários atletas, entre eles

Plínio e Serginho, no pró­ximo dia 25; Pegorari, Marcos Martins, Lucas Mendes, Daniel Vançan, Peri, Gilberto, Marce­linho, Leandro Salino, Tchô, Marquinhos, Caio Dantas e Gilsinho, cinco dias depois; Yuri, João Lucas e Peterson e Pimentinha, no dia 31.

Segundo Gelfuso, a par­tir da próxima semana, cada atleta será chamado ao clube para conversar sobre a tem­porada de 2019 e se houver interesse de ambas as par­tes os contratos poderão ser renovados. No momento, a diretoria do Botafogo, mais precisamente a S/A, concen­tra suas energias na renova­ção do contrato do técnico Léo Condé. Após definida a situação do comandante, a diretoria de futebol irá dar os primeiros passos com vis­tas à temporada de 2019, que incluiu o Paulistão e o Cam­peonato Brasileiro da Série B.

Arena
Em entrevista ao progra­ma esportivo 22 em campo, exibido pelo Grupo Thathi de Comunicação, o empresário Adalberto Batista, idealizador do projeto de transformação do Botafogo em clube-empre­sa, por meio de uma socieda­de anônima, disse que a arena multiuso terá 12 mil assentos para oferecer maior conforto aos torcedores, sendo três mil deles corporativos, isto é, a se­rem utilizados por empresas, seus funcionários e convida­dos. “Então serão nove mil assentos destinados aos torce­dores que hoje se sentam no cimento”, informou.

Ele disse que essa será a primeira parte de um pro­jeto mais ambicioso, que é o ampliar a oferta de assentos, mas não deu prazo para que isso aconteça. Batista disse que a arena multiuso objetiva alcançar novas receitas para investimentos no futebol. Na próxima segunda-feira, toda a área onde estão hoje insta­lados os bares, nas proximi­dades da ‘churrasqueira’ será demolida para a construção de três restaurantes.