O fundamento de saque tem sido um dos trunfos do São Francisco Saúde/Vôlei Ribeirão na Superliga B. Em busca da vaga na elite do voleibol brasilei­ro, a equipe treinada por Marcos Pacheco tem contado com a for­ça, técnica e potência do pontei­ro Gabriel e de outros jogadores, como o central Giovanni.

No sábado (10), diante do Vôlei Itapetininga, na Cava do Bosque, Gabriel atingiu a im­pressionante marca de 11 aces em um total de 25 saques. Ele ainda contribuiu com 14 pontos de ataque, somando 25 no jogo. Foi uma das melhores partidas de Gabriel vestindo a camisa de Ribeirão Preto e um de seus recordes pessoais – Giovanni fez mais cinco pontos de saque.

“Foi especial. Fazer 11 pontos de saque pra mim era algo distan­te, foi uma surpresa. Ainda mais contra uma equipe qualificada como Itapetininga em um jogo tão importante para nós. Estou muito feliz com a minha atuação, por ter contribuído com ataque, saque, passe, bloqueio… Nossa equipe foi muito bem, cada um que entrou fez sua parte. Isso é ser um time”, analisou Gabriel.

“Ele fez 11 pontos e poderia ter feito mais. Os saques foram impressionantes. Estou há muito tempo no vôlei em equipes de alto nível, final de Superliga, de Sul-Americano, e não me lembro de ter visto algo parecido, com uma sequência tão forte”, disse o técnico Marcos Pacheco.

Para efeito de comparação, no início deste ano o francês Ear­vin Ngapeth anotou 12 pontos de saque defendendo o Modena contra o Soro, pela Liga Italiana – apenas um a mais que Gabriel. A pontuação foi um recorde da Liga Italiana e ganhou destaque em todo o mundo. No Brasil não há registros referentes ao recordista deste fundamento.

Com 15 pontos, o Vôlei Ri­beirão fechou a fase classificató­ria na liderança da Superliga B e vai enfrentar o oitavo colocado, Uberlândia-MG, em datas a se­rem divulgadas pela CBV.