O Índice de Preços ao Consumidor-Classe 1 (IPC-C1), que mede a variação da cesta de compras para famílias com renda até 2,5 salários mínimos (R4 2,38 mil), registrou inflação de 0,53% em outubro. A taxa é superior ao 0,2% de setembro, de acordo com dados divulgados nesta terça-feira, 6 de novembro, pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Com o resul­tado, o indicador acumula inflação de 4,09% no ano e de 4,28% nos últimos 12 meses.

O IPC-C1 de outubro também foi superior ao Índice de Preços ao Consumidor-Brasil (IPC-BR), que mede a inflação para todas as fai­xas de renda e que ficou em 0,48% no mês. O acumulado pelo IPC-BR nos últimos 12 meses ficou acima do IPC-C1 (4,8%). De setembro para outubro, seis das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram acréscimo em suas taxas de variação.

Alimentação passou de 0,1% para 1,17%, transportes saltou de 0,35% para 0,71%, saúde e cuida­dos pessoais cresceram de 0,17% para 0,38%, vestuário aumentou de 0,62% para 0,73%, educação, leitu­ra e recreação saltaram de 0,23% para 0,37% e comunicação foi de 0,08% para 0,12%. Por outro lado, tiveram queda os grupos habitação (de 0,22% para -0,11%) e despesas diversas (de 0,04% para -0,03%).

A ata do último encontro do Comitê de Política Monetária (Co­pom) do Banco Central, divulgada na manhã desta terça-feira, indi­cou que a projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2018 no cenário de mercado está em 4,4%. Já a projeção para 2019 é de 4,2% e, para 2020, de 3,7%.

Estes são os mesmos valores citados no comunicado que acom­panhou a decisão do colegiado na semana passada, quando a Selic (a taxa básica de juros) foi mantida em 6,50% ao ano pela quinta vez consecutiva. O cenário de mercado utiliza como referência as projeções do Relatório de Mercado Focus para a Selic e o câmbio.

No Relatório Trimestral de Inflação (RTI) divulgado em 27 de setembro, as projeções do cenário de mercado estavam em 4,1% para 2018, 4,0% para 2019 e 3,6% para 2020. No Relatório de Mercado Focus publicado na se­gunda-feira, dia 5, as instituições financeiras projetaram inflação de 4,40% em 2018, 4,22% em 2019 e 4,00% em 2020.