O técnico Jair Ventura con­firmou, no treino desta terça-feira, a formação do Corin­thians que entrará em campo contra o Cruzeiro, quarta-fei­ra, às 21h45, no Mineirão, no primeiro jogo da final da Copa do Brasil. A boa notícia é o re­torno do lateral-direito Fagner.

O jogador, que ficou de fora dos dois últimos jogos por causa de um problema na coxa esquerda, demons­trou estar recuperado e tra­balhou normalmente entre os titulares na atividade reali­zada no CT do Coimbra, em Contagem, na Região Metro­politana de Belo Horizonte. Fagner, no entanto, não deve suportar os 90 minutos. Para o seu lugar, o treinador testou o zagueiro Pedro Henrique e Mantuan, considerado o re­serva imediato.

Outra confirmação foi do quarteto ofensivo. Jair optou pela manutenção da equipe que vem atuando nas últimas partidas. Romero, Jadson, Ma­teus Vital e Clayson treinaram entre os titulares. O problema é que esses quatro meia-atacan­tes não vivem bom momento. Desde que o treinador assu­miu, há sete jogos, o ataque fez apenas cinco gols.

Sob o comando de Jair, apenas Jadson marcou, na vitória sobre o Sport, por 2 a 1, há cinco partidas. Romero fez seu último gol há 17 jo­gos. Mateus Vital não marca desde maio e Clayson fez seu último gol em abril. Para o primeiro jogo da final, no en­tanto, a principal preocupa­ção está em não ser vazado.

Jogadas aéreas
Durante o último traba­lho, Jair priorizou os cruza­mentos na área de sua defesa. A preocupação ganhou peso depois da derrota por 3 a 0 para o Flamengo na Arena Corinthians, sexta-feira, pelo Campeonato Brasileiro. Os dois primeiros gols saíram após cobranças de escanteio. O treinador não deixou que ninguém filmasse essa parte da movimentação.

No dia anterior, o zaguei­ro Henrique já havia comen­tado sobre essa preocupação. Nesta terça, Cássio concedeu entrevista coletiva mais cedo e pediu concentração à equi­pe. “Quem errar menos vai sair com a vitória. Uma deci­são como essa vence nos de­talhes”, comentou.

No setor de marcação, a no­vidade vai ser a entrada do vo­lante Gabriel na vaga de Dou­glas, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Gabriel vinha atuando improvisado no lugar de Fagner na direita. Contra o Flamengo, sofreu com Vitinho. Agora voltará a sua posição de origem e atuará ao lado do ve­terano Ralf, de 34 anos.