Apontado pelo DEM como pré-candidato à Presidência da República, o presidente da Câ­mara, Rodrigo Maia (RJ), se encontrou com o ex-deputado Valdemar Costa Neto (SP), que comanda o PR, na manhã des­ta quinta-feira, 11. Com a sexta maior bancada da Casa (37 de­putados), o partido é um dos que Maia tenta atrair o apoio para viabilizar sua candidatura ao Pa­lácio do Planalto no pleito deste ano. Oficialmente, o presidente da Câmara foi pedir apoio à refor­ma da Previdência, mas, segundo interlocutores, o pano de fundo do encontro foi atrair o PR para uma eventual candidatura.

O nome de Maia para a dis­puta ao Planalto ainda é dúvida dentro do governo. Ao jornal O Estado de S. Paulo, o presiden­te Michel Temer disse acreditar que o político fluminense vai disputar a reeleição da Câmara e não o Planalto. Temer, contu­do, afirmou que o presidente da Câmara “só tem a ganhar” ao se movimentar pela sucessão.

O presidente da Câmara acredita que poderá contar com apoio do PR, caso o ex-presiden­te Luiz Inácio Lula da Silva (PT) seja condenado em segunda ins­tância no processo do triplex do Guarujá (SP) e, assim, fique im­pedido de concorrer nas eleições presidenciais deste ano. Caso o petista seja candidato, Valdemar e outros integrantes do PR têm defendido, nos bastidores, alian­ça com Lula.

Além de Valdemar, o grupo de Maia também tem conver­sado com o ex-deputado Ber­nardo Santana, presidente do PR de Minas Gerais. Santana é do mesmo Estado do senador Antonio Anastasia (PSDB), nome que o presidente da Câ­mara sonha em ter como can­didato a vice. Outra opção seria a senadora Ana Amélia (RS), do PP, sigla cuja negociação de aliança com Maia está avança­da, segundo aliados dele.

Em seu Twitter, Maia postou que iniciou o dia em reunião com o Partido da República, sem citar nomes. Segundo ele, o en­contro foi para discutir a refor­ma da Previdência. No post, ele também informou que almoça­rá com o governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo, em Florianópolis. “Vamos ten­tar construir a participação dos governadores neste debate (da reforma)”, disse Maia.

Candidatura – A reforma da Previdência é considerada pelo grupo de Maia como um dos marcos para o eventual lança­mento oficial da candidatura dele. Foi justamente em razão da proposta, cuja votação no ple­nário da Câmara está marcada para 19 de fevereiro, que Maia pediu ao DEM para adiar para o fim do mês a convenção na­cional do partido, quando Maia deve ser lançado como pré-can­didato. Na avaliação de aliados, ele precisa da aprovação da re­forma para “reforçar” seu poder de articulação.

Comentários