A Instituição de Cooperação Intermunicipal do Médio Paraopeba ? ICISMEP vai ampliar a rede de atendimento de angiologia, a partir da incorporação de uma nova técnica para o tratamento de varizes no SUS: a escleroterapia com espuma. A expectativa é que o procedimento ajude a diminuir as filas de espera de pacientes por um tratamento. Atualmente estima-se que 70% da população adulta tenham algum tipo de varize.

A ICISMEP já realiza o procedimento há alguns anos, na unidade Toninho Resende, em Betim, porém somente agora o financiamento pelo SUS foi aprovado. Até então, só era possível para casos de pacientes que tinham feridas abertas. Existem duas formas de tratar as varizes: a cirurgia, quando a veia doente é arrancada ou o fechamento, que impede que o sangue volte a se acumular. Com o fechamento a veia é destruída e o sangue vai para as veias boas, que funcionam normalmente. O tratamento com espuma, chamado de escleroterapia é uma alternativa à cirurgia e é bastante recomendada.

Também conhecida como aplicação, é uma forma menos invasiva de tratamento das varizes, capaz de secar ou queimar os vasos doentes. Trata-se de uma aplicação de medicamento, que ao ser bombeado em duas seringas forma uma espuma. Ao ser injetada a espuma tem uma ação esclerosante, que irrita a parede do vaso e o elimina, fazendo com que sejam absorvidos posteriormente pelo organismo. Este procedimento permite o tratamento de varizes mais calibrosas, sem a necessidade de uma intervenção cirúrgica, podendo ser feita na própria clínica ou consultório.

O fator principal para ter a doença é a hereditariedade. Além disso, fatores como pressão alta, obesidade ou trabalhar muito tempo em pé aumentam a predisposição. As varizes existem em maior quantidade nas mulheres, nas pessoas com mais de 40 anos, nos obesos e durante a gravidez.

Indicação
O tratamento com espuma é indicado para casos de varizes mais calibrosas; pacientes com quadro de risco cirúrgico ? que não têm condições de passar por uma cirurgia; pacientes que apresentam casos mais graves de varizes e que não podem se submeter a uma cirurgia convencional ou com laser, além de pessoas com quadro de úlceras e alterações na pele. O tratamento é contraindicado para gestantes, mulheres que estejam amamentando e pessoas alérgicas às substâncias usadas no tratamento, após verificação feita pelo médico

Website: http://www.icismep.mg.gov.br

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui