Fotos: Divulgação/Polícia Civil

A Polícia Civil de Minas Gerais informou na noite deste sábado (14), a prisão de seis suspeitos de participação do assalto a duas agências bancárias em Passos, no Sul de Minas, na última terça-feira (10). A ação criminosa gerou terror na cidade, deixou bairros sem energia elétrica e resultou na suspensão das aulas em escolas municipais, estaduais e em uma universidade.

Segundo a Polícia Civil, o bando foi localizado em Hortolândia, na região de Campinas no início da tarde. A operação contou com o apoio da polícia civil paulista. Foram apreendidos explosivos, armas e uma grande quantia em dinheiro.

A nota divulgada finaliza mencionando que “as investigações continuam no intuito de identificar e prender outros envolvidos e garantir a tranquilidade e segurança da população”.

Informações da Polícia Civil dão conta da extrema sofisticação e poder de fogo do grupo, estimado em 20 assaltantes transportados em quatro caminhonetes naquela madrugada.
Os investigadores recolheram uma espécie de compressor de ar, que foi usado para sugar a fumaça gerada pelas explosões nas agências do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal e possibilitar ação mais rápida dos assaltantes.

O ataque

Uma quadrilha com pelo menos 20 homens fortemente armados explodiu duas agências bancárias e trocou tiros com a polícia em passo, no sul de Minas Gerais. O grupo ainda queimou dois ônibus na MG-050 e destruiu transformadores, provocando queda de energia na cidade – 46 residências ficaram sem luz. As aulas no campus da Universidade Estadual de Minas Gerais (Uemg) foram suspensas.

As explosões de duas agências bancárias aconteceram por volta de 1h20. Segundo a polícia, os criminosos conseguiram roubar uma grande quantia (não revelada) em dinheiro de cofres, além de joias penhoradas do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal. Houve troca de tiros. A informação é de que pelo menos um dos membros da quadrilha tenha ficado ferido. Ele foi socorrido pelos comparsas, que fugiram em uma caminhonete.

Os criminosos atiraram contra transformadores e, durante a manhã, pelo menos 46 moradores estavam sem energia elétrica. A quadrilha fugiu e queimou dois ônibus na rodovia MG-050 para atrapalhar a perseguição policial. Um congestionamento de cinco quilômetros se formou em um dos trechos, mas a pista já foi liberada. Na cidade, o grupo abandonou um carro com munições calibre 50 e explosivos que não foram detonados.

Quatro aeronaves da Polícia Militar seguiram para Passos e contam com o apoio de quatro viaturas nas buscas pelos criminosos.

O Batalhão de Operações Especiais (Bope) foi chamado para desativar as bombas. A equipe desarmou e removeu explosivos. Ao todo, três estruturas foram deixadas para trás. Segundo a polícia, bananas de dinamite grandes foram colocadas em bombas armadas do lado de fora das agências. Os explosivos foram levados a um local seguro para detonação.
Uma quadrilha com pelo menos 20 homens fortemente armados explodiu duas agências bancárias e trocou tiros com a polícia em Passos, no sul de Minas Gerais. O grupo ainda queimou dois ônibus na MG-050 e destruiu transformadores, provocando queda de energia na cidade – 46 residências ficaram sem luz. As aulas no campus da Universidade Estadual de Minas Gerais (Uemg) e em escolas do município foram suspensas.

As explosões de duas agências bancárias aconteceram por volta de 1h20. Segundo a polícia, os criminosos conseguiram roubar uma grande quantia (não revelada) em dinheiro de cofres, além de joias penhoradas do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal. Houve troca de tiros. A informação é de que pelo menos um dos membros da quadrilha tenha ficado ferido. Ele foi socorrido pelos comparsas, que fugiram em uma caminhonete.

Os criminosos atiraram contra transformadores e, durante a manhã, pelo menos 46 moradores estavam sem energia elétrica. A quadrilha fugiu e queimou dois ônibus na rodovia MG-050 para atrapalhar a perseguição policial. Um congestionamento de cinco quilômetros se formou em um dos trechos, mas a pista já foi liberada. Na cidade, o grupo abandonou um carro com munições calibre 50 e explosivos que não foram detonados.

Quatro aeronaves da Polícia Militar seguiram para Passos e contam com o apoio de quatro viaturas nas buscas pelos criminosos.

 

Comentários