O deputado Jair Bolsonaro (PSL) lidera os três cenários de pesquisas estimuladas sem o ex­-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na disputa, indica pes­quisa CNT/MDA, divulgada nes­ta segunda-feira, 14. Condenado e preso na Operação Lava Jato, Lula lidera os cenários nos quais participa do levantamento. Ele pode ser declarado inelegível pelo Tribunal Superior Eleitoral TSE) com base na Lei da Ficha Limpa.

No cenário mais provável sem Lula, Bolsonaro tem 19,7%; Mari­na Silva (Rede) 15,1%; Ciro Go­mes (PDT), 11,1%. O ex-gover­nador tucano Geraldo Alckmin (PSDB/SP) aparece em seguida, com 8,1%, seguido por Fernando Haddad (PT), com 3,8%.

O nível mais alto de inten­ção de voto de Bolsonaro é de 20,7%, caso disputasse o Planal­to com Marina (16,4%), Ciro (12%), Haddad (4,4%) e Henri­que Meirelles (1,4%).

Há ainda um terceiro cená­rio estimulado sem Lula: neste, o deputado do PSL registra 18,3%; Marina, 11,2%; e Ciro, 9%. Alck­min aparece mais uma vez em quarto lugar, com 5,3% das inten­ções de voto, seguido por Álvaro Dias, com 3% e Fernando Ha­ddad, com 2,3%.

Com Lula – No primeiro levantamento divulgado após a prisão do ex-presidente, o petista lidera com 32,4%, seguido de Bol­sonaro, com 16,7%, Marina, com 7,6%, e Ciro, com 5,4%. Geraldo Alckmin aparece em quinto lugar, com 4% das intenções de voto, se­guido pelo senador Álvaro Dias, que teria 2,5%.

O ex-presidente Fernando Collor aparece em seguida, com 0,9% das intenções de voto, em­patado com o presidente Michel Temer (MDB). Guilherme Bou­los (PSOL) e a deputada esta­dual Manuela D’Ávila (PCdoB­-RS) aparecem empatados com 0,5%, seguidos por João Amoedo (Novo) e Flávio Rocha (PRB), ambos com 0,4%.

O ex-ministro Henrique Meirelles (MDB), o presiden­te da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) aparecem em últi­mos na pesquisa, com 0,3%; 0,2% respectivamente.

Rejeição – presidente Mi­chel Temer (MDB) tem a maior rejeição, com 87,8% dos en­trevistas dizendo que não vo­tariam de jeito nenhum nele. Marina Silva é a segunda mais rejeitada, com 56,5%, segui­da por Alckmin, com 55,9%, e pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), com 55,6%.

Bolsonaro tem a quinta maior rejeição: 52,8% dos entrevistados disseram que não votariam de jei­to nenhum no deputado do PSL. O ex-ministro da Fazenda Hen­rique Meirelles registra 48,8% de rejeição. Lula, Ciro e Haddad apresentaram as menores rejei­ções, respectivamente: 46,8%, 46,4% e 46,1%.