A banda Srta. Zirma sobe ao palco do Theatro Pedro II, em Ribeirão Preto, nesta quin­ta-feira, 8 de novembro, às 20h30, para um show especial em homenagem a Cássia Eller. Neste espetáculo, que integra o projeto “Acácias”, inédito para o país, o grupo ribeirão-preta­no vai reviver grandes suces­sos que ficaram imortalizados na voz da cantora carioca, tais como “Por enquanto”, “Segun­do Sol” e “Malandragem”, além de outros hits conhecidos pe­los fãs da artista.

O show “Acácias – Tributo a Cássia Eller”, que reviverá gran­des sucessos de uma das vozes mais marcantes da MPB, apre­sentará 20 canções contando a trajetória de Cássia Eller desde a juventude até os tempos do melhor do rock ‘n roll, passan­do pela fase da maternidade até chegar em seu último álbum, “Acústico MTV (2001)”. A ban­da Srta.Zirma é formada exclu­sivamente por mulheres e conta com Marina Dagher na guitar­ra, Drica Jaxs no contrabaixo, Juliana Mangolin no violão, Ga Hebling na percussão e Bianca Costa na bateria.

Cássia Eller foi uma das maiores representantes do rock brasileiro dos anos 90 e eleita a 18ª maior voz e 40ª maior artista da música brasileira pela revista Rolling Stone Brasil. Mulher de poucas palavras, cantora de in­finitos sons e uma voz tamanha, foi forte e surpreendente na arte. Com menos de 40 anos de vida e 20 de carreira, Cássia Eller fa­leceu em 2001, deixando uma obra eterna. Lançou cerca de dez álbuns de estúdio e ao vivo, alguns póstumos.

Caracterizada pela voz gra­ve e pelo ecletismo musical, in­terpretou canções de grandes compositores do rock brasileiro, como Cazuza, Renato Russo e Rita Lee, além de artistas da MPB como Marisa Monte, Ca­etano Veloso e Chico Buarque, passando pelo pop de Nando Reis, rap de Xis e o incomum de Arrigo Barnabé e Wally Sa­lomão, até sambas de Riachão e rocks internacionais de Janis Jo­plin, Jimi Hendrix, Beatles, John Lennon e Nirvana.

Teve uma trajetória musi­cal bastante importante, em­bora curta, com algo em torno de dez álbuns próprios grava­dos no decorrer da carreira. Faleceu em 29 de dezembro de 2001, no auge de sua carreira, com apenas 39 anos, na clínica Santa Maria no bairro de La­ranjeiras, na Zona Sul do Rio de Janeiro, após sofrer três pa­radas cárdicas em razão de um infarto do miocárdio repenti­no. Ela nasceu Cássia Rejane Eller, em 10 de dezembro de 1962, na capital fluminense.

Os ingressos custam R$ 90 (plateia), R$ 80 (frisa), R$ 70 (balcão nobre) e R$ 50 (balcão simples). Já a meia-entrada só vale para estudantes com car­teirinha da instituição de en­sino, professores da rede pú­blica (municipal e estadual) com apresentação de holerite ou documentação e aposenta­dos e idosos acima de 60 anos com documento comprobató­rio (cédula de identidade, RG).

Essas pessoas têm 50% de desconto e vão pagar R$ 45, R$ 40, R$ 35 e R$ 25, respec­tivamente. Crianças de até dois anos não pagam. Os ingressos estão à venda na bilheteria do teatro e no site especiali­zado Ingresso Rápido (www. ingressorapido.com.br). Não será permitida a entrada após o início do espetáculo. Quem chegar atrasado também não poderá trocar o ingresso e não haverá devolução de dinheiro.

A Fundação Pedro II tam­bém proíbe o consumo de co­midas e bebidas no local. O te­atro fica na rua Álvares Cabral nº 370, no Quarteirão Paulista, Centro Histórico de Ribeirão Preto. O local tem capacidade para 1.588 pessoas, mas parte foi interditada por segurança. Atualmente conta com 1,3 mil lugares. Telefone para mais in­formações: (16) 3977-8111. O espetáculo não é recomendado para menores de 12 anos devi­do ao horário. A realização é da Nova Digital, CMS Produ­tora e Srta Zirma.