Vereador Isaac Antunes (PR) em trabalho pela associação "Muda Ribeirão" (Arquivo Pessoal)

A Operação Têmis, deflagrada na manhã desta quinta-feira (11) pela Polícia Civil e o Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) também investiga a ligação do vereador Isaac Antunes (PR) com os acusados de golpe contra instituições financeiras.

Na operação, foram presos golpistas e os quatro sócios de um escritório de advocacia (veja texto no portal Tribuna).

No caso de Antunes, o promotor Aroldo Costa Filho disse que vai pedir a cassação do mandato do vereador junto à Justiça Eleitoral. Segundo o promotor, Antunes – empresário do ramo de alimentação – é acusado de cooptar, por meio de uma Associação chamada “Muda Ribeirão”, pessoas de baixa renda na periferia da cidade com a promessa de limpar o nome destas junto aos órgãos de proteção ao crédito. “As pessoas compareciam, onde era prometido que o nome seria limpo em pouco tempo, sem nenhum custo e na verdade essas pessoas foram induzidas a assinar procurações que foram entregues para os advogados”, afirmou o promotor.