A água e o espírito

0
38

“Vi descer do céu o Espírito de Deus, como pomba, e pousar sobre Jesus. Eu vi, por isso dou meu testemunho: realmente, Ele é o Filho de Deus. O Batista diz: Quem, com água, enviou-me a batizar, assim falou-me: Sobre quem vires descer e pousar o Santo Espírito de Deus, é este que batiza com o Espírito.” (Jo 1,32.34.33)

A água, elemento tão corriqueiro, a ele só damos valor quando, nos desertos das nossas secas, ficamos com sede, quando nada sai das nossas torneiras, para preparar o ali­mento ou para tomar banho. A água dá vida à terra árida. Faz brotar os alimentos que nos sustentam. Com São Francisco adoramos e agradecemos a Deus: “Louvado sejas, meu Se­nhor, pela irmã água, útil e humilde, preciosa e pura”.

Setenta por cento (70%) do nosso corpo é água que vai sumindo a medida que os anos passam. A proporção da água no corpo humano é igual à do Planeta Terra. Nascemos da e na água. Somos em boa parte, água! Como tudo, mas em maneira especial, a água nos deve levar para realidade mais profunda: a água deve conduzir-nos à fonte da vida que é o próprio Deus! Jesus Cristo quis ser batizado na água do Jordão e nela deixou, como afirma Santo Efrem, a fragrância da sua divindade.

A prática da meditação duas vezes ao dia, através do silêncio, visa o encontro com a verdade mais absoluta que nos habita. O encontro do nosso pequeno ser contingente com o Ser absoluto, aquele que é por si e não por outrem. O Ser que é Pai, fonte de vida, que nos torna amor e derrama sobre nós sua vida, cujo nome é amor. Ao tomarmos água, a usar deste tesouro divino, reconhecemos a grandeza e bondade divina para conosco, a veneramos, preservamos e não inquinamos o dom de Deus para todo ser vivente.

Quando Jesus sai da água do Jordão, água é divinizada! O Espírito Santo de Deus pousa sobre Jesus e a voz do Pai anun­cia: “Este é o meu Filho bem-amado, escutai-O!” E qual é o anúncio Filho de Deus? “Eu sou a ressurreição e a vida.” A pandemia e a morte são vencidas! “Aquele que crê em mim, ainda que morra, viverá”

E mais: “Quem crer e for batizado, será salvo. “Crer signi­fica aderir a Ele, identificar-se com Ele, viver por e para Ele, tornar-se nova criatura porque batizado, imergido na água e no Espírito de amor de Cristo. Assim, Nele e por Ele salva-se das falsas ilusões do mundo e vive a verdadeira vida, torna-se filho no Filho”.

De todo seu ser sai o estupor de poder chamar o Criador de todas as coisas de Abba, ou seja, Paizinho! Então “como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva a fe­cundar a terra árida de tantas pessoas onde o anúncio da boa nova de Cristo ainda não chegou. Adoremos nosso Abba-Pa­pai pela água das nossas torneiras e mais pela água do Espíri­to que no batismo torna-nos filhos amados pelo Pai.