A covid-19 no Brasil e no mundo – parte I

0
30

Estamos vivendo uma época de pandemia no mundo inteiro causada por um vírus chamado novo coronavírus ou Sars-CoV-2. Esse vírus teve sua origem identificada em uma grande cidade chinesa no final do ano de 2019. Mas o que se sabe sobre a sua origem começa e termina aí. Formularam-se várias hipóteses entre elas a de que o vírus foi “fabricado” em um laboratório de guerra biológica do exército chinês existente na cidade Wuhan onde por sinal o vírus foi inicialmente identificado e, por um equívoco, ele escapou dos tubos de ensaios e contaminou pessoas.

Mas essa hipótese foi totalmente repudiada pelo governo central da Chi­na bem como por vários cientistas entrevistados que consideraram despro­vida de qualquer fundamento científico. Outra hipótese é a de que o vírus é originário de morcegos que contamina outros animais selvagens largamente consumidos pelas populações rurais de algumas regiões da China, mas essa hipótese também foi descartada inclusive por uma comissão de cientistas designada pela OMS (Organização Mundial da Saúde) que visitou a região de Wuhan onde o vírus foi inicialmente detectado para analisar “in loco” a origem desse vírus.

Finalmente o que se sabe sobre a origem desse novo coronavírus é que muito pouco sabemos e sua origem permanece um mistério até agora. Pois bem, o vírus passou a contaminar um grande número de pessoas na China sendo que em janeiro de 2020 registraram-se os primeiros óbitos e foi constatado um eleva­do número de contaminados o que levou as autoridades sanitárias da China a estabelecerem medidas rígidas para impedir essa contaminação visando combater a doença causada pelo vírus. Em janeiro de 2020 o vírus já havia se espalhado por outras cidades chinesas e países vizinhos como a Coreia do Sul e o Japão e outros mais afastados como os da região da Ásia-Pacífico.

O vírus foi identificado na Europa Ocidental e América do Norte e em seguida foi constatada a sua presença em todos os continentes sendo oficial­mente reconhecida como situação de pandemia, tendo como causa o novo coronavírus e a doença foi chamada de covid-19. A chegada do vírus em alguns países trouxe uma questão científica até o momento inexplicável: qual o motivo de o vírus se propagar, contaminar, causar doença grave em alguns países e em outros a contaminação ser reduzida a um mínimo de doentes acometidos pelo vírus também ser muito menor e o número de óbitos ser também muito pequeno? Isso se constata na África. É uma questão cientí­fica que permanece sem solução pelo menos até o momento. Mistério. Por outro lado, ainda existem muitas questões relacionadas com esse vírus e que permanecem sem respostas.

O que podemos dizer é que a respeito do novo coronavírus nós temos muito mais perguntas do que respostas. Continuamos a formatar nossa exposição sob o contexto de perguntas e respostas para tornar mais fácil a compreensão do material.

01. Como o novo coronavírus chegou ao Brasil? E qual é situação no momento da covid-19 em nosso país?
A hipótese mais provável é que veio da Itália sendo trazida por viajantes, já que o primeiro caso identificado no Brasil ocorreu na capital do estado de São Paulo em um turista vindo da Itália. Daí pra gente, isto é, da cidade de São Paulo o vírus se espalhou pela baixada santista, região do ABC, interior de São Paulo atingindo outras cidades brasileiras. Atualmente o vírus já está presente em todos os municípios do Brasil e em quase todos já foi constatado óbito pela covid-19. A situação da covid-19 no Brasil no momento é dramáti­ca. Chegamos a ter hoje 250 mil brasileiros mortos. E isso é uma tragédia.

02. Como o novo coronavírus se espalhou pelo mundo?
Ele saiu da China e foi inicialmente levado para países vizinhos. A China mantém um intercâmbio intenso com países vizinhos como Korea e Japão, esses sim, têm relações comerciais, culturais e turísticas intensas com todos os países do ocidente principalmente com os Estados Unidos, Reino Unido e União Europeia que por sua vez possuem relações intensas com a Euro­pa Oriental, países do Oriente Médio e países da América Latina e Caribe.
(Continua na próxima semana)