A veterana da Câmara

0
96
FOTOS: ALFREDO RISK

A vereadora de Ribeirão Pre­to, Gláucia Berenice (Democra­tas) fala sobre suas conquistas e os projetos para a atual legislatu­ra iniciada em janeiro deste ano. Única voz feminina na Câma­ra nos últimos quatro anos, ela agora ganhou mais duas compa­nheiras vereadoras no parlamen­to. Segunda vice-presidente do Legislativo até o final deste ano, Gláucia afirma que os mais im­portantes projetos da Mesa Di­retora serão aprofundar as ações de transparência e a tramitação eletrônica das propostas e outros documentos entre o Poder Le­gislativo e a prefeitura.

 

Tribuna Ribeirão – A senhora está em seu quarto mandato par­lamentar. Como avalia sua reelei­ção nas eleições municipais do ano passado?
Glaucia Berenice – As eleições do ano passado foram um grande desafio. Muitas mudanças que in­cluíram o fim das coligações, redu­ção no número de vereadores, alte­rações no calendário por conta da pandemia, a centralização das reu­niões e contatos nas redes sociais e a expectativa de alta na abstenção. Esperava mesmo maiores dificulda­des, uma competição mais acirra­da, porém, eu confiava no trabalho realizado nos últimos quatro anos, que incluiu uma passagem pela presidência da Câmara Municipal e como prefeita interina, quando pude contribuir com o andamen­to da cidade num momento que a Operação Sevandija afastava vários políticos.

Tribuna Ribeirão – A pandemia do coronavírus mudou o jeito de se fazer campanha em função do distanciamento social. Como a se­nhora fez para chegar ao seu elei­torado?
Glaucia Berenice – Em grande parte através das redes sociais, Face­book e Instagram especificamente, mas apenas com o alcance orgâni­co. Fizemos muitas reuniões por aplicativos como o Zoom e Google Meet. Eu vi a necessidade de alcan­çar as pessoas, mas pensar antes na sua segurança. Fizemos material de maneira mais restrita, visando ain­da o costume e a facilidade que as pessoas solicitam para ter o número e algumas referências do meu traba­lho, como as bandeiras de luta con­tra a violência que vitima mulheres, crianças e idosos, pela educação de qualidade, na fiscalização dos atos do Poder Executivo, que são tradi­cionais no meu mandado, e mais a prevenção e combate à covid-19, que também incorporei.

Tribuna Ribeirão – A senhora preside a Comissão de Educação da Câmara de Vereadores. O que a comissão está fazendo em relação ao retorno das aulas presenciais de maneira segura para os estudantes do município?
Glaucia Berenice – A Comis­são está preparada para fiscalizar a aplicação dos protocolos sanitários, os limites impostos pela pandemia ao ensino presencial, a efetividade do ensino online, a suficiência de funcionários para seguimento dos protocolos e das orientações da Se­cretaria Municipal Educação. Ainda durante o recesso, oficiei a Adminis­tração para inserir os profissionais da Educação como grupo prioritá­rio para vacinação e essa demanda trago também para a comissão. É uma operação complexa, que já foi adiada visando melhor preparação, porém é claro que não temos mais como manter as escolas fechada in­definidamente. Em agosto do ano passado, durante uma audiência pública presidida por mim, reco­mendamos que as escolas permane­cessem fechadas enquanto a Comis­são Intersetorial voltada às medidas sanitárias finalizasse suas determi­nações e tínhamos a expectativa de controle da pandemia, o que não ocorreu. Mas especialistas na área de Saúde e Educação vem alertan­do sobre os prejuízos intelectuais e sociais do longo isolamento para as crianças e o ensino online tem suas limitações mesmo quando o aluno tem acesso, enquanto outros tem a dificuldade adicional de não poderem acompanhar aulas online. Portanto, há que ser feito o retorno de forma gradual, com controles sanitários e medidas de prevenção suficientes.

 

Tribuna Ribeirão – A defesa das mulheres também tem sido uma de suas prioridades parlamenta­res. Ribeirão Preto tem consegui­do avançar nesta defesa?
Glaucia Berenice – Após uma luta de três anos, consegui em con­junto com outras entidades e li­deranças trazer o anexo contra a violência doméstica, que funciona no Fórum de Ribeirão Preto des­de 2015. Há pelo menos dois anos, retornei meus contatos com o Tri­bunal de Justiça e Assembleia Legis­lativa para que o anexo seja trans­formada numa Vara Especializada em Violência Doméstica, amplian­do sua capacidade de atendimento. Outra conquista foi a Lei Parada Segura, em que a mulher usuária do transporte coletivo pode solicitar o desembarque mais próximo de sua casa ou trabalho, independente dos pontos regulares. Desde o ano pas­sado, estamos realizando a Semana de Prevenção à Gravidez Precoce e já há mais de 10 anos realizamos a Semana de Prevenção à Síndrome Fetal Alcoólica. Estávamos também articulando no início do ano pas­sado o projeto Menina-Moça, que prevê a distribuição de absorventes a alunas carentes do sistema públi­co de ensino. Sou também autora da cartilha “Nós Merecemos Respeito” que orienta as mulheres a respeito da violência doméstica e onde pro­curar ajuda, com todos os contatos telefônicos, horários e endereços.

Tribuna Ribeirão – Neste mandato o Legislativo tem três vereadoras mulheres. Vocês têm articulado ações conjuntas para que o legislativo tenha um olhar mais feminino?
Glaucia Berenice – Sim. Te­mos conversado, por enquanto mais sobre as matérias que estão sendo votadas durante as sessões, mas pretendemos sim nos articular sobre temas comuns. As vereado­ras participam tanto da Comissão da Mulher quanto da Comissão da Educação, as quais eu presido. É importante a colaboração delas justamente para termos um olhar mais feminino sobre as questões da cidade, pensar mais no universo da mulher na sua condição de cidadã, profissional e mãe. A mulher tem necessidades diferenciadas, precisa de maior proteção no mercado de trabalho, na segurança e de políti­cas que reconheçam e valorizem seu papel na comunidade.

Tribuna Ribeirão – Seu partido o Democratas faz parte da base de apoio ao governo Nogueira. Como será sua atuação levando-se em consideração este fato?
Glaucia Berenice – Antes eu era filiada ao PSDB, que é o partido do prefeito. Apesar disso, meu voto nunca foi automático; ele sempre foi embasado jurídica e tecnicamente. No Democratas, seguirei essa mes­ma linha. Eu sempre analiso a fundo o conteúdo e seus efeitos, podendo me posicionar contra ou favorável à matéria. Quando fui membro da CCJ e mais recentemente presidente da Comissão de Finanças, os pare­ceres que assinei sempre levaram em consideração a parte técnica e meu posicionamento é baseado sempre nessa análise. Da mesma forma, apresento emendas aos pro­jetos orçamentários sem me preo­cupar com o aspecto político, mas conforme o interesse público e a boa gestão administrativa.

Tribuna Ribeirão – Em sua opinião o que um vereador preci­sa para fazer seu trabalho chegar até a população considerando que o distanciamento social impos­to pela pandemia do coronavírus mudou a forma deste relaciona­mento que, regra geral era basea­do no contato pessoal?
Glaucia Berenice – A impren­sa exerce um papel fundamental quando se interessa pelos trabalhos desenvolvidos nesta Casa de Leis e auxilia nesse aspecto. Se antes já usávamos muito as redes sociais, estas passaram a ser fundamentais e o seu custo-benefício é bem in­teressante, até porque seu alcance orgânico, na verdade, não implica em investimento financeiro. A van­tagem para o cidadão é a interativi­dade, pois são canais diretos com o vereador e sua equipe.

Tribuna Ribeirão – Quais serão as suas prioridade neste mandato?
Glaucia Berenice – Viabilizar a instalação da vara especializada em violência doméstica, que já consta de projeto de lei em tramitação na Assembleia Legislativa e a insta­lação da delegacia 24 horas, que já foi objeto de indicação e ofício ao governador do Estado. Ampliar a vigilância remota a postos de Saúde e instalações do Daerp nos moldes do que já está sendo aplicado nas es­colas municipais e que foi uma pro­posta que apresentei em 2019.

Tribuna Ribeirão – A senhora faz parte da Mesa Diretora da Câ­mara. Em sua opinião quais são os principais desafios do Legislativo este ano?
Glaucia Berenice – Aprofundar as ações de transparência e a tramitação eletrônica das propostas e outros do­cumentos do Poder Legislativo, per­mitir a utilização de suas instalações ociosas a serviços públicos de interes­se direto da população, manter o foco na pandemia que gerou diversas ini­ciativas legislativas no ano passado que contribuíram com o combate à doença e amenizaram a grave crise social e econômica. Investir no seu quadro técnico, incentivar a parti­cipação popular nas sessões, reu­niões e audiências, lembrando que tivemos uma expressiva redução de cadeiras, pelo que tudo isso somen­te será possível com ainda mais en­volvimento dos parlamentares, cada um em seu campo de atuação.