Jornal Tribuna Ribeirão

Agência constata alta da gasolina em RP

FOTOS: DAVI MORALES

Segundo o levantamento semanal da Agência Nacio­nal do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), os valores médios dos combus­tíveis registraram alteração nos mais de 200 postos de Ri­beirão Preto. De acordo com a pesquisa realizada entre 9 e 15 de janeiro, o litro do eta­nol está mais barato, abaixo de R$ 4,70. A gasolina subiu e segue acima de R$ 6,30.

O preço médio cobrado pelo litro do álcool hidratado baixou de R$ 4,775 para R$ 4,649, queda de 2,6% em re­lação ao dia 8 de janeiro, de­pois de chegar a R$ 5,199 em 13 de novembro – o maior valor da história desde que a agência passou a pesquisar preços no município. O pre­ço do litro da gasolina agora custa, em média, R$ 6,369.

A leve alta é de 0,2% em comparação com os R$ 6,357 cobrados anteriormente – Pe­trobras reajustou o preço nas refinarias na quarta-feira (12), lembrando que este é o preço médio, ou seja, tem posto co­brando mais ou menos pelo produto. A paridade entre os derivados de cana-de-açúcar e de petróleo continua acima do limite. Agora está em 73%, de­pois de passar semanas acima de 80% – chegou a 80,5% no dia 13 de novembro.

Os preços da gasolina adi­tivada (R$ 6,456), do óleo die­sel (R$ 5,168) e do diesel S-10 (R$ 5,452) são os mesmos do período anterior porque não entraram na última pesquisa. No ano passado, segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgado pelo Instituto Bra­sileiro de Geografia e Estatís­tica (IBGE) no dia 11, o preço da gasolina avançou 47,49% no país, mas caiu 0,67% em dezembro.

O etanol acumula 62,23% de alta no mesmo período, ante 46,04% do diesel. O pre­ço do álcool baixou 2,96% e o diesel recuou 0,33% no último mês de 2021. O preço do hi­dratado recuou nas bombas de Ribeirão Preto, mas tem posto bandeirado cobrando R$ 6,80 (R$ 6,799) pelo litro da gasoli­na, R$ 0,10 mais. A média, po­rém, é de R$ 6,70 (R$ 6,697), alta de 1,5% em relação aos R$ 6,60 (R$ 6,597) do início da se­mana, R$ 0,10 a mais.

O álcool combustível cus­ta R$ 5 (R$ 4,997), mas até o final de dezembro era de R$ 5,20 (R$ 5,197), queda de 3,8% e R$ 0,20 a menos. Nos sem­-bandeira, a média para a ga­solina baixou de R$ 6,32 (R$ 6,319) para R$ 6,24 (R$ 6,239), recuo de 1,3% e desconto de R$ 0,08. O litro do etanol caiu de R$ 4,80 (R$ 4,799) para R$ 4,64 (R$ 4,639), baixa de 3,3% e desconto de R$ 0,16.

O consumidor deve pes­quisar porque há variação para mais e para menos tanto nos bandeirados quanto nos independentes. Com base nos valores de R$ 5 para o deriva­do da cana e de R$ 6,70 para o do petróleo, a paridade está em 74,6% e não é vantajoso abastecer com álcool, já que o limite é de 70%.

A Petrobras reajustou os preços dos combustíveis em suas refinarias na quarta-fei­ra, 12 de janeiro. Segundo a estatal, o valor médio da ga­solina para as distribuidoras passou de R$ 3,09 para R$ 3,24 por litro, aumento de 4,85%. O diesel subiu de R$ 3,34 para R$ 3,61 por litro, alta de 8,08%. O aumento já chegou ao consumidor.

A média de aumento em Ribeirão Preto é de 0,15 cen­tavos por litro, segundo Fer­nando Roca, diretor do Nú­cleo Postos Ribeirão Preto, que reúne 85 revendedores bandeirados de combustíveis de Ribeirão Preto, o equiva­lente a 50% do mercado local.

Etanol sobe nas usinas
Nas usinas paulistas, o álcool combustível registrou uma leve alta de 0,02%. O valor do hidratado fechou a semana em R$ 3,35, depois de “encostar” nos R$ 3,90 no final de 2021. Saltou de R$ 3,3501 para R$ 3,3516. O preço do anidro – adiciona­do à gasolina em até 27% – recuou 0,17%.

Fechou a semana na casa de R$ 3,80. Baixou de R$ 3,8360 para R$ 3,8296. Os dados fo­ram divulgados na sexta-feira, 14 de janeiro, pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) da Escola Superior de Agri­cultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo (Esalq/USP).

Mais notícias

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
AllEscort