RHEIN-ERFT-KREIS VIA REUTERS

Uma autoridade de res­gate diminuiu as esperanças nesta quarta-feira, 21 de ju­lho, de encontrar mais so­breviventes nos escombros das vilas devastadas por en­chentes no oeste da Alema­nha, enquanto uma pesquisa mostrou que muitos alemães sentem que os parlamentares não fizeram o suficiente para protegê-los.

Pelo menos 170 pessoas morreram nas enchentes da semana passada, o pior desas­tre natural da Alemanha em mais de meio século, e milha­res estão desaparecidas. O go­verno da Bélgica confirmou 24 óbitos, mas estima que haja mais mortos na tragédia. No total, já são 194 vítimas fartais nos dois países.

“Ainda estamos procu­rando pessoas desaparecidas enquanto limpamos estradas e bombeamos água para fora dos porões”, disse Sabine La­ckner, vice-chefe da Agência Federal para Emergências Téc­nicas (THW) da Alemanha. Para alívio imediato, o governo federal fornecerá inicialmente até 200 milhões de euros em apoio emergencial.

O ministro das Finanças, Olaf Scholz, disse que mais ajuda pode ser disponibiliza­da, caso seja necessário. Isso se somará a pelo menos 250 milhões de euros que serão fornecidos pelos estados atin­gidos para reparar edifícios e infraestrutura local danificada e para apoiar as pessoas em si­tuação de crise.