Alexandre Balbo – Moradores querem passarela em rodovia

0
36
JF PIMENTA/ARQUIVO

Por meio de ofício encami­nhado à Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), o vereador Igor Oliveira (MDB) pede que a instalação de uma passarela para travessia de pedestres so­bre a Rodovia Alexandre Balbo (SP-328), no Anel Viário Norte de Ribeirão Preto, seja inserida na pauta de discussões da Co­missão de Transportes da Casa de Leis. Quem vive ali diz que a infraestrutura viária não acom­panhou a expansão da cidade.

O parlamentar justifica que a construção é necessária por causa dos novos bairros construídos às margens da rodovia, como o Jar­dim Cristo Redentor. Com quase sete mil casas e uma população de aproximadamente 35 mil pes­soas, muitos moradores correm risco de morte ao atravessar a pista, além dos motoristas que transitam pelo local – um dos trechos com maior incidência de óbitos neste ano, segundo o Movimento Paulista de Segu­rança no Trânsito (Infosiga-SP).

A única passagem que existe, por baixo da rodovia, só tem um trecho com calçada. Também não tem redutor de velocidade. Os moradores cobram uma so­lução. Diferentemente da Rodo­via Prefeito Antônio Duarte No­gueira (Anel Viário Sul), onde o limite de velocidade é de 90 quilômetros por hora, no Anel Viário Norte – continuação da mesma via – o limite é de 110 quilômetros por hora. Além dis­so, não há radar no trecho.

De acordo com a Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp), no contrato de concessão do trecho, assinado com a Entrevias, empresa que administra a rodovia, está pre­vista a implantação de passarelas nos quilômetros 331 e 333 do Anel Viário Norte, mas o cro­nograma indica que as obras só devem começar em 2023.

“Não podemos esperar tan­to. Vidas podem ser perdidas caso o Estado não acelere esse processo”, afirma Igor Oliveira. Ele diz ainda que também en­trou em contato com o setor de engenharia da agência e foi in­formado de que um estudo re­cente não apontou a necessida­de imediata da implantação da passarela. “Nós solicitamos esse estudo e também a realização de um novo para a constatação da necessidade de travessia segura dos moradores daqueles bair­ros”, conclui o parlamentar.

Recentemente, a concessio­nária Entrevias informou à Ar­tesp que estudos técnicos cons­tataram que o fluxo de travessia no trecho é pequeno. Uma con­tagem recente da quantidade de pedestres na rodovia não in­dicou a instalação de passarela, conforme determinam as nor­mas técnicas. “No entanto, ciente do aumento populacional com a entrega de novos residenciais na região do Anel Viário Norte, a empresa apresentou à Artesp um conjunto de medidas para aumentar a segurança no tre­cho, principalmente em relação a coibir o excesso de velocidade”, diz. A instalação de radares de velocidade é uma das medidas propostas e está em análise.

Comentários