FL PITON/CCS

A reforma do parque ao re­dor da Lagoa do Saibro, área de recarga do Aquífero Guarani, na Zona Leste de Ribeirão Preto, está em sua fase final. A empresa vencedora da licitação faz os últi­mos ajustes para que o local seja entregue à população totalmen­te revitalizado, mais uma opção de lazer para todos na cidade. O prefeito Duarte Nogueira Júnior (PSDB) assinou a ordem de ser­viço em 29 de junho e as obras começaram em julho.

A empresa Cedro Construto­ra e Incorporadora venceu a lici­tação com proposta de R$ 210,63 mil, aproximadamente 22% a me­nos que o previsto inicialmente, de R$ 270,02 mil, abatimento de R$ 53,39 mil, e ficou responsável pelas obras. A verba para a refor­ma do parque é proveniente de re­passes do Ministério do Turismo (MTur), via emenda parlamentar indicada pelo deputado federal Baleia Rossi (MDB/SP).

Todo o projeto foi pensado para oferecer mais comodida­de para quem vai frequentar o parque, que terá novo traçado de passeios e calçadas, atenden­do todas as normas de acessibi­lidade como rampa de nível e rampas para deficientes físicos, sinalização horizontal com piso direcional e piso de alerta, paisa­gismo e mobiliário, com bancos de concreto e bicicletário.

Plantio de árvores
O parque também recebeu o plantio de três mil mudas de árvo­res nativas no entorno da Lagoa do Saibro, no dia 2 de dezembro deste ano, em ação da empresa Global Tree em parceria com a prefeitura de Ribeirão Preto, patrocinadores, escolas, entidades e comunidades. As mudas pertencem ao bioma Cerrado e o plantio foi reali­zado de forma coletiva com a comunidade, em uma grande ação ambiental.

Proteção da Lagoa do Saibro
Para maior proteção da La­goa do Saibro, foi construída uma mureta com altura mínima de 1,1 metro e máxima dependendo da declividade do terreno, a fim de manter a unidade estética de toda a intervenção, já que todos os ele­mentos de proteção relacionados aos eixos de circulação principais são feitos em alvenaria.

Existem também muretas de proteção ao longo do sistema viário e também alguns trechos de muros de arrimo para estabili­zação do terreno. Já a escolha do gradil metálico na borda da lagoa se deu pela maior visibilidade que ele proporciona. A utilização de alvenaria possibilita que, no futu­ro, seja instalada uma das entradas do parque, com pequenos equipa­mentos de apoio instalados.

A obra atrasou. O prazo de execução era de três meses após a emissão da ordem de serviço, com previsão de entrega no iní­cio de outubro para tornar o local mais agradável e acessível às pes­soas. Estão sendo construídos 660 metros quadrados de passeio, um gradil de proteção e paisagismo com 15 tipos de árvores, entre eles ipê amarelo e jenipapo.

O Parque Ecológico Lagoa do Saibro foi criado pela lei mu­nicipal 10.921, de 13 de setembro de 2006. Tem aproximadamente 75 mil metros quadrados e fica entre a avenida Henry Nestlé, rua “B”, rua Leonardo Gonçal­ves e alameda “C”, no Parque dos Lagos. A lei prevê o fechamento com alambrados, a implantação de uma pista de caminhada, a construção de sanitários e de um centro de educação am­biental e o monitoramento pela Guarda Civil Municipal.

A lagoa é área de recarga do Aquífero Guarani, reservatório subterrâneo de água com 1,2 mi­lhão de quilômetros quadrados de extensão e que se estende por sete estados do Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai. Em Ribeirão Preto, cidade que mais usa o ma­nancial – todo o abastecimento da população é feito via poços artesianos –, segundo o Grupo de Atuação Especial do Meio Am­biente (Gaema), o reservatório sofre rebaixamento de um metro de profundidade por ano e, nas últimas décadas, o nível da reserva caiu 72 metros.

Comentários