Auxílio começa a ser pago hoje

0
11
© Marcello Casal JrAgência Brasil

A Caixa Econômica Fede­ral vai creditar os pagamentos do auxílio emergencial 2021 a partir desta terça-feira, 6 de abril. O calendário de crédito em conta digital segue até 22 de agosto. O novo benefício, de acordo com a Medida Provisó­ria 1.039, tem valor médio de R$ 250, pago em quatro parce­las mensais.

Serão 45,6 milhões de famí­lias contempladas, em um inves­timento de aproximadamente R$ 43 bilhões do Orçamento da União. Deste total, R$ 23,4 bilhões serão destinados ao pú­blico já inscrito em plataformas digitais da Caixa Econômica Fe­deral (28.624.776 beneficiários), R$ 6,5 bilhões para integrantes do Cadastro Único (6.301.073 beneficiários) e mais R$ 12,7 bilhões para atendidos pelo Programa Bolsa Família (10.697.777 beneficiários).

O calendário foi organizado para que o atendimento ocorra de forma ordenada e sem aglo­meração. Os pagamentos serão escalonados, de acordo com o mês de nascimento do bene­ficiário, em ciclos de crédito em conta e saque em dinheiro. Para os beneficiários do Bolsa Família que receberão o auxí­lio, nada muda.

Eles continuam a receber conforme o calendário habitu­al. O auxílio emergencial 2021 começa a ser pago hoje, dia 6, para os brasileiros nascidos em janeiro e os demais bene­ficiários receberão conforme abaixo. O primeiro pagamento para os beneficiários do Bolsa Família será no dia 16.

A operação para pagamento das parcelas do auxílio seguirá o modelo utilizado em 2020, com operacionalização pela Caixa Econômica Federal. Os inte­grantes do Bolsa Família serão contemplados com o benefício conforme o calendário habi­tual do programa, enquanto os demais receberão na Conta Social Digital (Caixa TEM), que pode ser movimentada por um aplicativo de celular.

O Ministério da Cidadania continua responsável pelo pro­cessamento e pela análise dos pedidos, além de enviar para a instituição financeira a relação de beneficiários elegíveis ao pa­gamento do benefício. O auxílio emergencial 2021 será limitado a uma pessoa por família, sendo que mulher chefe de família mo­noparental terá direito a R$ 375.

O novo auxílio será pago somente a famílias com renda per capita de até meio salá­rio mínimo (R$ 550) e renda mensal total de até três salários mínimos (R$ 3.300). Para o público do Bolsa Família, se­gue valendo a regra quanto ao valor mais vantajoso a ser re­cebido entre o programa assis­tencial e o auxílio emergencial 2021. Os integrantes do Bolsa Família receberão o benefício com maior parcela (R$ 375).

As pessoas que não movi­mentaram os valores do auxílio emergencial e sua extensão, disponibilizados na poupan­ça digital em 2020, não terão direito ao novo benefício, as­sim como quem estiver com o auxílio do ano passado can­celado no momento da avalia­ção de elegibilidade para 2021.

Quem ainda não terá direi­to a receber o novo auxílio são pessoas com menos de 18 anos, exceto mães adolescentes, quem estiver no sistema carcerário em regime fechado ou tenha seu Cadastro de Pessoa Física (CPF) vinculado, como instituidor, à concessão de auxílio-reclusão, quem tiver indicativo de óbito nas bases de dados do governo federal ou tenha seu CPF vincu­lado, como instituidor, à con­cessão de pensão por morte.

A primeira fase de pagamen­tos do auxílio chegou a R$ 294 bilhões para cerca de 67,9 mi­lhões de pessoas, em duas roda­das: na primeira, foram pagas parcelas de R$ 600 por cinco meses; na segunda, chamada de “auxílio residual”, foram parcelas de R$ 300 durante quatro meses e com um pú­blico-alvo menor. Os cidadãos podem verificar se têm direito através do endereço auxilio. caixa.gov.br ou central 111.