Foto: Marcos Corrêa/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que “é possível” que o assassinato da vereadora Mariel­le Franco (PSOL) tenha man­dantes e que espera que as inves­tigações tenham chegado nesta terça-feira, 12, aos reais execu­tores do crime. Ele destacou que não conhecia a vereadora do Rio de Janeiro e completou: “Eu também estou interessado em saber quem mandou me matar”. No ano passado, o presidente foi vítima de atentado durante a campanha eleitoral, de autoria de Adélio Bispo.

“É possível que tenha um mandante. Eu conheci a Ma­rielle depois que ela foi assas­sinada. Eu não conhecia ela, apesar de ser vereadora com meu filho no Rio de Janeiro. E eu também estou interessado em saber quem mandou me matar”, declarou.

Desde a divulgação das pri­sões, passou a circular na inter­net uma foto de Bolsonaro ao lado de Elcio de Vieira Quei­roz, um dos suspeitos. Ques­tionado sobre o assunto, Bolso­naro respondeu que tem fotos com “milhares de policiais civis e militares, com milhares, do Brasil todo”.

Bolsonaro disse que não ficou surpreso com as desco­bertas desta terça porque “não existe crime impossível” de ser solucionado. “Eu acredito que não existe crime impossível de ser solucionado, coisa rara. Agora que poderia chegar a um bom termo, eu acredito que sim”, disse.

Comentários