Os preços da banana, laranja, alface e batata caíram nas princi­pais Centrais de Abastecimento (Ceasas) do país. É o que revela o 8º Boletim Prohort de Comer­cialização de Hortigranjeiros, que analisou o comportamento das cotações das frutas e hortaliças no mês de julho. O levantamento foi divulgado nesta quinta-feira (17) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). A boa oferta da batata e a diminuição do consumo da alface, devido ao clima frio, influenciaram o regis­tro de preços mais baixos dessas hortaliças no atacado.

Na contramão desses produ­tos, a cebola teve alta de preços nas Ceasas analisadas devido à menor oferta no mercado, uma vez que foi registrada redução na área plantada em vista da limita­ção hídrica e dos baixos preços do produto durante o ano passado e no primeiro semestre deste ano. Já a cenoura não apresentou ten­dência uniforme, uma vez que há transição entre duas safras. Com isso, a oferta do produto em algu­mas regiões foi capaz de abastecer o mercado, influenciando na bai­xa dos preços.

Frutas – A banana e a laranja foram as frutas que registraram melhor oferta e, em consequên­cia, um menor custo ao com­prador atacadista. A melancia, por sua vez, teve oferta menor e acabou ficando mais cara nas Centrais pesquisadas. Com o mamão houve uma leve dimi­nuição da oferta, tanto do Pa­paya quanto do Formosa. Essa pequena variação do produto no mercado fez com que a fru­ta não registrasse desempenho uniforme. Já no caso da maçã, os preços se mantiveram estáveis.

Além dos produtos analisa­dos, outras hortaliças apresenta­ram recuo geral nos preços, como aspargos (-22%), abobrinha (-7%) e chuchu (-4%). A tendên­cia de queda seguiu também em frutas como ameixa (-25%), mo­rango (-16%), pera e uva (-6%). O levantamento é feito mensal­mente pela Conab, por meio do Programa Brasileiro de Moderni­zação do Mercado Hortigranjeiro (Prohort), com base nas infor­mações enviadas pelos principais mercados atacadistas do país. Em julho, a análise considerou entre­postos localizados nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Paraná, Goiás, Distrito Fe­deral, Pernambuco e Ceará.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui