De janeiro de 2017 até o presente momento, a Prefeitura de Ribeirão Preto utilizou cerca de R$ 62 milhões em investimentos para obras no município. Este valor, do total de R$ 411 milhões já contratados por meio de liberação de recursos via FINISA, Desenvolve SP, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, foi utilizado, até agora, em recapeamento asfáltico, início das obras do Ribeirão Mobilidade, investimentos na 3º etapa do Distrito Empresarial, construção de escolas, reforma de unidades de saúde além de investimentos na implantação de interceptores de esgoto para que a cidade alcance a Universalização do sanea­mento básico.

Com planejamento, bom senso e atentos ao limite estabelecido pela lei de responsabilidade fiscal, utilizamos apenas 3% da capa­cidade de contrair empréstimos, que hoje permite o percentual de 16% sobre a receita corrente líquida do município.

Todas as operações para esses investimentos são previamen­te autorizadas por meio de análises de um quadro técnico das instituições financeiras comprovando, assim, a capacidade de pagamento por parte da Prefeitura, pré-requisito para viabiliza­ção dos financiamentos.

Já prevendo uma questão que pode surgir nessa nossa conver­sa, é importante esclarecer que a prefeitura utiliza esta forma de crédito que só pode ser contraído para investimentos em obras e equipamentos, não existindo financiamentos para déficit de custeio, ou seja, para serviços, manutenção e folha de pagamento. Daí, a dificuldade que ainda encontramos com folha de pagamento dos ativos e inativos.

Em 2017, ao assumirmos a Prefeitura, encontramos os cofres públicos comprometidos, uma população desconfiada, empresários receosos em investir na cidade e, em consequência, um alto índice de demissões. Das dívidas encontradas, foram R$ 681.991.050,42 milhões em dívidas de longo prazo. Um déficit de R$ 307.476.025 em restos a pagar.

Porém, com muito esforço e persistência, entre incorporações de novas dívidas e amortizações, até o final de 2017, na dívida de longo prazo, conseguimos reduzir em R$ 8.954.496,00 milhões. No ano seguinte, 2018, reduzimos em mais R$ 89.911.783,00 milhões. Só neste ano de 2019, até 31 de agosto, já conseguimos reduzir em mais R$ 47.676.230,00 milhões.

E, ainda, renegociamos dívidas, pagamos fornecedores, garanti­mos o pagamento do acordo dos 28,35%, que totalizará, até dezem­bro de 2020, R$278 milhões. Também pagamos, entre tantas outras dívidas deixadas pela administração anterior com hospitais e forne­cedores, R$71.179.624,57 referente ao contrato do lixo, diminuindo, assim, a dívida a longo prazo. Somadas, as duas dívidas totalizam parte do valor que está sendo investido no Ribeirão Mobilidade.

Com isso, resgatamos a confiança da população, dos empresá­rios, instituições financeiras e das empresas que voltaram a investir em nossa Ribeirão Preto.

Feito isso, conforme já planejado, priorizamos neste momen­to investimentos em obras para que a cidade comporte o cresci­mento demográfico, populacional e gere benefícios à população, de forma permanente.

Trabalhamos e administramos Ribeirão Preto para que se torne a cidade mais planejada e melhor de se viver do país. E não medire­mos esforços para isso. Somos todos responsáveis em proporcionar um lugar em que existam ações que diminuam as distâncias sociais, onde todos tenham oportunidade de ter uma boa saúde, uma boa educação, menos tempo no trânsito e mais tempo produtivo. Uma cidade com forte ambiente empreendedor que garanta aos cidadãos emprego, renda e oportunidades para vencer na vida e ser feliz.

Comentários