RUBENS CHIRI

A reformulação do São Paulo durante a paralisação do calendário para a disputa da Copa América começou com a saída do preparador físico Carlinhos Neves. O pedido de demissão foi feito há duas se­manas, após o empate por 1 a 1 contra o Cruzeiro, na capital paulista, mas o profissional es­perou os últimos jogos do pri­meiro semestre de 2019 para definir a sua situação.

O preparador físico disse ter tido um “desgaste natural” com o técnico Cuca. Além disso, as ideias dele eram diferentes das do clube. Carlinhos Neves so­freu críticas internas por conta dos constantes desfalques por lesões do São Paulo neste ano.

O clube passará por mu­danças dentro e fora de campo, como admitiu Cuca depois do empate contra o Atlético-MG, em Belo Horizonte, na quinta-feira, pelo Brasileirão. O objeti­vo é renovar o ambiente do CT da Barra Funda.

“Isso é mais coisa interna, o São Paulo como um todo é gigante e vai fazer mudanças que lhe cabem. Não só no as­pecto campo, como fora tam­bém. São coisas naturais que às vezes tem de se renovar. Acontece em todos os clu­bes”, disse Cuca.

Em relação a campo, o São Paulo vai liberar jogadores pouco utilizados. O clube bus­ca diminuir a folha salarial em mais de R$ 1 milhão. As mu­danças também acontecerão em otras áreas, como jurídico, administrativo, financeiro e marketing. O executivo de fu­tebol Raí, embora tenha sido alvo de protesto de torcedores, deve continuar no cargo.

Grupos de conselheiros se reuniram com o presidente Car­los Augusto de Barros e Silva, o Leco, e cobraram mudanças.

Comentários