Cássio admite dúvida sobre o Flu após saída de Diniz: ‘Não sabemos como eles vêm’

0
33

O goleiro Cássio admite que a demissão do técnico Fernando Diniz do Flumi­nense, rival do Corinthians nesta quinta-feira, pelas quartas de final da Copa Sul­-Americana, traz dúvidas so­bre a preparação tática para o jogo das 21h30, na Arena Corinthians

“A gente não sabe exa­tamente como eles vão vir. Vamos tentar nos preparar para todas circunstâncias, de repente uma equipe que mantenha o padrão. É mui­to recente, a gente fica nessa incógnita de como o Flumi­nense vai vir. O Fábio vem falando bastante sobre isso, sobre como preparar”, ad­mitiu Cássio, em entrevista coletiva na tarde dessa quar­ta-feira, no CT Joaquim Gra­va. O Fluminense anunciou a contratação de Oswaldo de Oliveira, mas o clube será dirigido na quinta-feira pelo auxiliar Marcão.

Depois da conquista de quatro títulos de Paulistão (2013, 2017, 2018 e 2019), dois do Brasileirão (2015 e 2017), uma Copa Libertadores (2012), uma Recopa (2013) e um Mundial (2012), o goleiro afirma que a conquista da Sul­-Americana teria um sabor di­ferente. “É um confronto mui­to difícil com o Fluminense. Almejo ganhar a Sul-Ameri­cana, assim como Brasileiro, e ano que vem quero brigar por Copa do Brasil, que não ganhei ainda. Mas não é falando que se ganha, é trabalhando”, afir­mou o goleiro.

“A gente não pode se co­brar, achar que tem que ser agora, todo ano tem campe­onato. Quero ganhar, vencer todos, mas é jogo a jogo. Te­mos que respeitar o Flumi­nense e fazer um grande jogo. É naturalmente, mas vamos lá, se fizermos tudo certinho, quem sabe não podemos chegar?”, indagou.

Cássio descarta priorizar a Sul-Americana por causa da proximidade com a final. “Sul-Americana é mata-ma­ta, não podemos apostar só nela. É uma reta final, um campeonato que a gente não tem, eu nunca ganhei, mas é passo a passo nos dois cam­peonatos. Pés no chão, ir evo­luindo. Antes da Copa Amé­rica, a gente tinha mudado muitos jogadores, hoje eles dominam a parte tática, têm entrosamento bom, às vezes entram uns que não têm tan­ta oportunidade e mantém o nível”, afirmou o goleiro.

O Timão deve jogar com Cássio, Fagner, Mano­el, Gil e Avelar; Gabriel; Pe­drinho, Júnior Urso, Mateus Vital (Sornoza) e Clayson; Vagner Love.

Comentários