Encontro foi realizado de forma virtual, com a participação do secretário de Estado da Habitação, Flávio Amary - Foto: Divulgação

Por Thomaz Cavalcanti/Especial para o Tribuna

Anúncio foi feito durante reunião virtual com prefeitos

A Secretaria de Estado da Habitação promoveu na terça-feira passada (6), uma reunião, reunião com prefeitos para tratar da construção de novas moradias do Programa Nossa Casa – CDHU. O encontro foi realizado de forma virtual, com a participação do secretário de Estado da Habitação, Flávio Amary; do presidente da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), Reinaldo Lapequino e dos diretores da Companhia, Aguinaldo Quintana e Marcelo Hercolin.

Além de Ribeirão Preto, os municípios atendidos serão Cristais Paulista, Guaíra, Guará, Guaraci, São Paulo e Santa Rosa de Viterbo.

Ao todo, o CDHU anunciou a construção de cerca de 6600 casas, sendo 1259 casas em sete empreendimentos da regional de Ribeirão Preto. Os conjuntos habitacionais serão edificados em terrenos doados pelos municípios e urbanizados pela CDHU. A previsão anterior era de que a Caixa Econômica Federal seria responsável pela construção e pelo financiamento das casas. Para conferir mais agilidade na produção dos empreendimentos, a CDHU assumirá a construção que será executada em duas etapas. Na primeira fase, será realizada a urbanização dos lotes com pavimentação e implantação de água, esgoto e outros itens. Na sequência será feita a edificação das unidades habitacionais.

Amary: "investimento importante que realiza os sonhos das famílias e gera emprego"

De acordo com o secretário estadual da Habitação, Flávio Amary as casas serão construídas pela própria CDHU. “É um investimento importante, que além de realizar os sonhos das famílias, também vai gerar emprego e fomentar a economia”, destacou.

As inscrições por sorteios já foram realizadas durante o ano passado. As famílias fizeram suas inscrições pelo aplicativo da CDHU.

O secretário Amary lembra que o financiamento tem taxa zero de juros e é feito pela própria CDHU. Também não é necessária a aprovação de crédito, uma vez que o programa atende a população de mais baixa renda, ou seja, as pessoas com renda menor, pagam uma prestação mais baixa.