O assassino em série Char­les Manson morreu na noite de domingo (19), em um hospital do condado de Kern, na Cali­fórnia, aos 83 anos, de causas naturais. Manson estava pre­so desde 1971 por ter sido o mentor intelectual da morte da atriz Sharon Tate e de ou­tras seis pessoas em 1969. Os assassinatos foram cometidos em Los Angeles por membros da “Família Manson”, uma seita que o tinha como líder máximo. A morte a facadas de Tate, en­tão grávida do diretor Roman Polanski, teve repercussão mundial. Os assassinos usa­ram o sangue de suas vítimas para escrever mensagens nas paredes, enquanto seguiam as instruções que acreditavam es­cutar na canção ”Helter Skelter”, dos Beatles. Inicialmente, Man­son foi condenado à morte, mas teve sua punição convertida em prisão perpétua quando a pena capital foi abolida na Califórnia.