Chuva abre cratera na Zona Norte de RP

0
36
ALFREDO RISK

As fortes chuvas dos últi­mos dias provocaram erosão na estrutura da ponte da aveni­da Eduardo Andrea Matarazzo (Via Norte), sobre o córrego do Tanquinho. A pista Centro/ Bairro está apenas com a faixa de rolagem central liberada para o tráfego de veículos.

Já as faixas laterais seguem interditadas. Devido ao grande fluxo de veículos na região, a Empresa de Trânsito e Trans­porte Urbano de Ribeirão Preto (Transerp) orienta os conduto­res que redobrem a atenção e diminuam a velocidade a fim de se evitar acidentes.

O solo cedeu após a queda de pedras à esquerda da pista por conta da chuva na ponte sobre o córrego do Tanquinho. O local segue monitorado pe­los agentes civis de trânsito. A erosão também atingiu um trecho da avenida Marechal Costa e Silva, paralela à Via Norte, na divisa dos Campos Elíseos e da Vila Brasil.

O asfalto também foi dani­ficado. A tubulação da galeria pluvial ficou exposta. Por meio de nota, “a Secretaria Municipal da Infraestrutura informa que está sendo realizado o reforço no chamado ‘repouso’ entre a ponte e o aterro. A última chuva forte provocou uma erosão no aterro sendo necessário o reparo. Os trabalhos devem ser concluídos em uma semana”.

Entre segunda (19) e terça­-feira, 20 de outubro, Ribeirão Preto registrou o maior volume de chuva do país e 92,3% do esperado para outubro em 48 horas, segundo a Somar Meteo­rologia. Foram 128 milímetros de precipitação em dois dias, apenas 10,6 a menos do que a expectativa total para o mês.

A maior concentração foi na terça-feira (20), com 102 milímetros, maior média des­de o início do ano. Até então, o volume mais expressivo tinha sido em 3 de janeiro, com 70,3 milímetros. A chuva também provocou mais alagamentos em alguns pontos da cidade, princi­palmente na Zona Norte.

Na segunda e na terça-feira houve alagamento na alça de acesso da Via Norte com o início da rua São Francisco, rota usada para quem segue em direção ao Ipiranga e outros bairros da Zona Norte. O tempo fechou por volta das 16 horas, com nu­vens carregadas em todas as re­giões da cidade.

Também foram registrados alagamentos na Vila Pompeia, Vila Guiomar e Jardim Presi­dente Dutra, na região do Ipi­ranga, e na avenida Oscar de Moura Lacerda, no Jadim In­dependência, todos bairros da Zona Norte. Em alguns pontos a água misturada à lama invadiu as residências.

Na praça Santo Antônio, nos Campos Elíseos, uma árvore de grande porte caiu sobre três carros. De acordo com infor­mações do 9º Grupamento do Corpo de Bombeiros, que aten­deu a ocorrência, ninguém ficou ferido com queda do espécime.

Porém, uma colmeia cons­truída em um dos galhos foi desfeita e, segundo o Corpo de Bombeiros, três pessoas fo­ram picadas por abelhas, mas ninguém precisou de atendi­mento. A árvore ainda causou obstrução da via e equipes da Transerp foram encaminhadas até o local para fazer o controle do tráfego. A travessa que liga a avenida saudade à rua Paraíba foi liberada após a retirada do tronco e dos galhos.

As causas que teriam mo­tivado a queda não foram in­formadas e ainda devem ser investigadas. Por conta do acidente, cabos elétricos foram derrubados e parte dos Cam­pos Elíseos ficou sem energia. A CPFL Paulista disse que cerca de 40 clientes tiveram o fornecimento interrompido e que o serviço voltou ao normal ainda na tarde de terça-feira.

Segundo o site Climatempo, nesta sexta-feira (23) a tempe­ratura oscilou entre 19 graus Celsius e 33ºC, com umidade relativa do ar entre 40% e 71%. O ideal é de 60%, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). Abaixo de 30% o muni­cípio entra em estado de atenção e quando o índice é inferior a 20% a situação é de alerta. Infe­rior a 12% já é considerado um caso de emergência.

Para este sábado (24), a pre­visão é de temperatura oscilan­do entre 19º e 24ºC, com umida­de variando de 49% a 73% e 90% de possibilidade de temporal e volume de 50 milímetros. No domingo (25) também devem ocorrer pancadas de chuva à tarde, cerca de 15 milímetros de água. Os termômetros de­vem marcar entre 19º e 30º, com umidade entre 54% e 85%.

Comentários