TRIBUNA IMAGEM

Os preços dos combustí­veis caíram nas unidades pro­dutoras. Nesta terça-feira, 8 de janeiro, a Petrobras anunciou redução de 1,38% no preço da gasolina sem tributo e sem mistura vendida em suas refi­narias. O litro do combustível passará a ser comercializado a R$ 1,4337 a partir desta quarta-feira (9), dois centavos a menos do que o preço praticado ante­riormente (R$ 1,4537).

Essa é a terceira queda con­secutiva do preço do combus­tível, que começou 2019 sendo vendido a R$ 1,5087 por litro. Desde o primeiro dia do ano, a gasolina acumula queda de 4,97% no preço nas refinarias da estatal. O preço do diesel foi mantido em R$ 1,8545, o mes­mo valor desde 1º de janeiro.

Segundo o mais recente es­tudo semanal da Agência Na­cional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), realiza­do entre 30 de dezembro e 5 de janeiro em 108 cidades paulistas, o preço médio do derivado de petróleo em Ribeirão Preto é de R$ 4,232, 0,16% abaixo do valor cobrado até dia 29, de R$ 4,239, desconto de R$ 0,007.

Nos postos bandeirados da cidade, o litro da gasolina custa, em média, entre R$ 4,20 (R$ 4,198) e R$ 4,40 (R$ 4,399). Nos sem-bandeira, o derivado de petróleo custava menos de R$ 4 até a noite de ontem, va­riando entre R$ 3,90 (R$ 3,899) e R$ 4 (R$ 3,999). Mas o con­sumidor deve pesquisar por­que tanto alguns franqueados quanto independentes prati­cam valores diferentes, para cima e para baixo.

O litro do diesel custa cerca de R$ 3,318, segundo a agên­cia, alta de 0,33% em compa­ração aos R$ 3,307 cobrados anteriormente, acréscimo de R$ 0,011. A média na cidade é de R$ 3,70 nos franqueados (R$ 3,699) e de R$ 3,40 nos in­dependentes (R$ 3,399).

O preço do etanol registrou uma leve e quase imperceptível alteração nas usinas paulistas, segundo estudo do Centro de Pesquisas Econômicas (Cepea) da Escola Superior de Agricul­tura Luiz de Queiroz (Esalq) – vinculada à Universidade de São Paulo (USP) –, realizado entre o dia 28 e sexta-feira, 4 de janeiro. O derivado da cana-de-açúcar caiu 0,01% nas unidades pro­dutoras do estado, de R$ 1,6675 para R$ 1,6673. Já o do álcool anidro – adicionado à gasolina em 25% – subiu 0,18%, de R$ 1,8295 para R$ 1,8328.

Segundo o último estudo semanal da ANP, o etanol ri­beirão-pretano está 0,4á 0,44% mais barato. Caiu de R$ 2,732 no dia 29 para R$ 2,720 na se­mana passada, desconto de R$ 0,012. Nos postos bandeirados de Ribeirão Preto, custa entre R$ 2,70 (R$ 2,697) e R$ 2,80 (R$ 2,799). Nos sem-bandeira, pode ser encontrado por va­lores que vão de R$ 2,50 (R$ 2,497) a R$ 2,58 (R$ 2,597).

Considerando os valores médios de R$ 2,70 para o etanol e R$ 4,20 para gasolina nos ban­deirados e de R$ 2,50 e R$ 4 nos sem-bandeira, respectivamente, ainda é mais vantajoso abastecer com álcool, já que a paridade está entre 64,2% e 62,5% – deixa de ser vantagem encher o tan­que com o derivado da cana-de -açúcar a relação chega a 70%. Se a base for os preços da ANP, de R$ 2,720 para o etanol e R$ 4,232 para a gasolina, a paridade está em 64,3%.