Todos nós queremos ter boa saúde. Todos nós queremos viver com qualidade. Todos nós queremos ter uma vida longa e feliz. Todos nós não queremos ficar doentes. Tudo isso é verdade e tudo isso é possível, sim.

Entretanto, muitas pessoas deixam de tomar medidas simples e eficazes para que essas perspectivas possam chegar a bom termo. E nós já tivemos a oportunidade, aqui mesmo nesse espaço, tendo por base os fundamentos de trabalhos de pesquisas recentes nas áreas das chamadas ciências médicas básicas como aplicadas e citar onde estão as medidas que as pessoas precisam colocar em prática no dia a dia para se evitar as doenças ou tratá-las de maneira adequada e assim evitar o sofrimento e diminuir os anos de vida.

A medicina geriátrica progrediu muito nos últimos anos e atual­mente já é possível se não a cura definitiva de muitas doenças que acome­tem as pessoas acima dos 60 anos, como também administrar a vida dessa população de modo a proporcionar-lhe ótima qualidade de vida e, também temos medidas capazes de evitar o aparecimento dessas doenças.

Até mesmo as chamadas demências que são doenças do Sistema Nervoso são atualmente possíveis de serem tratadas e administradas dando às pessoas condições de evitar uma evolução rápida dessas doen­ças e/ou evitando ou retardando o aparecimento delas. Também, tanto a medicina genética quanto a geriátrica têm apresentado notáveis pro­gressos atualmente que, se disponibilizados para a população, é possível que a média de vida seja elevada consideravelmente.

Os elevados índices de corrupção que têm sido uma constante no Brasil constituem um entrave ao progresso da saúde para os brasileiros, tendo em vista os enormes desvios de recursos que precisariam ser in­vestidos na melhoria dos programas de saúde pública. Ainda no tocante às medidas eficazes para cuidar bem da saúde podemos dizer que a principal delas é a pessoa querer cuidar bem da saúde. Isso mesmo: o querer é fundamental, pois se a pessoa quiser, ela faz. Se a pessoa quiser cuidar bem da saúde, ela cuida.

E cuidar bem da saúde envolve, como já pontuamos aqui mesmo nesse espaço, uma série de atitudes simples, porém bastante eficazes e que certamente se constitui num fator decisivo para se viver bem e atingir a uma longevidade desejável. Temos recebido muitas pergun­tas dos nossos leitores e vamos responder aqui, e ao mesmo tempo reforçar as atitudes que as pessoas precisam colocar em prática para cuidar cada vez melhor da sua saúde.

01. Eu esqueço muito e tem doenças de Alzheimer em pessoas da famí­lia. Será que eu também estou no começo dessa doença? Tenho 55 anos.

Não. Antes de mais nada, não se preocupe. Esquecer é um com­ponente até certo ponto normal na vida das pessoas, desde que esse esquecimento seja, o que podemos dizer razoável, isto é, tanto para fatos recentes como passado. Mas a sua preocupação tem fundamento, sim, quando você se refere que a sua família tem portadores de Doença de Alzheimer, pois essa doença assim como outras têm sim componente familiar, mas isso não significa que você está tendo ou vai ter essa do­ença. Por outro lado, é de grande importância você fazer uma consulta com um médico especialista nesse tipo de doença e que é o médico neurologista, para fazer acompanhamento das suas condições de saúde física e mental daqui pra frente.

02. Muitas pessoas da minha família morrem do coração. Tenho pressão alta. Vou ter problemas de coração também?

Posso dizer a você que a pressão alta, se não controlada ade­quadamente, com o tempo pode causar problemas no coração, sim. Mas veja bem: se você controlar bem a pressão seguindo direitinho as recomendações do seu médico clínico geral ou cardiologista, certamente você não terá problemas de coração. A pressão alta é controlada com os remédios que a pessoa tem que tomar de acordo com as recomendações médicas, mas não é só isso. A pessoa precisa também ter uma alimentação balanceada e com pouco sal, ter uma atividade física qualquer como fazer uma caminhada diária, evitar o estresse e assim, você estará cuidando muito bem da sua saúde.
(Continua na próxima semana).