AGÊNCIA BRASIL

A maioria do Congresso Na­cional é a favor de uma reforma do sistema de aposentadorias, segundo pesquisa divulgada nesta segunda-feira (11) pelo banco BTG Pactual. A maior parte dos congressistas não aprova, no entanto, a proposta de idade mínima igual, de 65 anos, para a aposentadoria de homens e mulheres.

A fixação de uma mesma idade para homens e mulheres, defendida pelo ministro da Eco­nomia, Paulo Guedes, é uma das principais polêmicas na propos­ta de reforma da Previdência revelada na semana passada. O governo diz que a proposta não é definitiva e é apenas uma das que estão sendo estudadas.

O levantamento foi realiza­do entre os dias 4 e 8 deste mês, com 235 deputados federais e 27 senadores, pelo Instituto FSB Pesquisa. Na Câmara, 82% dos entrevistados responderam ser favoráveis a que se reforme a Previdência, enquanto no Sena­do esse índice chegou a 89%.

O apoio a novas regras foi maior entre os congressistas novatos, ou seja, que não ocupa­vam mandato até 31 de janeiro deste ano. Segundo a pesquisa, 86% deles aprovam a reforma, enquanto entre os reeleitos a aprovação foi de 78%. Na pes­quisa por partidos, o PT foi o que contou menos parlamenta­res favoráveis à proposta: 37%.

Na outra ponta, o PP e o PSDB tiveram 100% de apoio à reforma. O índice é maior que o do PSL (92%), partido do presi­dente Bolsonaro.

A pesquisa mostrou ain­da que 72% dos congressistas aprovam a criação de uma idade mínima para a aposentadoria, mas a maioria (72%) dos parla­mentares apoia idades diferentes para homens e mulheres.

Em relação à idade de 65 anos para ambos os sexos, 61% dos entrevistados são contra. Apenas 20% apoiam a proposta, outros 7% não são a favor nem contra e 12% não sabem ou não responderam.

Comentários