Conheça o Santuário do Caraça

0
49
PBCM/DIVULGAÇÃO

A Primavera, uma das esta­ções mais queridas pelos brasilei­ros, começou oficialmente no dia 22 de setembro. No entanto, ela que é conhecida pelo brotar de flores e por fazer a transição entre o frio para o calor, caprichou nes­te ano. Prova disso está nas altas temperaturas que estão fazendo as pessoas procurarem opções para se refrescar. O Santuário do Caraça (Estrada do Caraça, Km 9 – entre os municípios de Ca­tas Altas e Santa Bárbara, Minas Gerais) é uma alternativa para quem busca um local agradável em meio à natureza, com águas frescas e revigorantes.

Santuário do Caraça entre os municípios de Catas Altas e Santa Bárbara, Minas Gerais, é uma alternativa para quem busca um local agradável em meio à natureza, com águas frescas e revigorantes

Além da beleza natural e a conhecida boa gastronomia, o local reserva surpresas im­perdíveis para os turistas se deliciarem de verdade duran­te a quente temporada.

“Com temperaturas tão al­tas como as que estamos tendo em Minas Gerais nesses últimos dias, o Caraça oferece para os vi­sitantes muito frescor, por causa das matas, já que é possível fazer trilhas em meio à natureza, e o presente para quem caminha, além de poder desfrutar da bele­za do local, é se refrescar nas pis­cinas naturais e quedas d’água”, comenta Márcio Mol, gerente geral do Santuário.

Conheça alguns atrativos.

Cascatinha


A Cascatinha (foto) é for­mada por quatro quedas d’água e quatro piscinas naturais, das quais duas são permitidas para banho. Localiza-se a 2 km do Santuário, por uma trilha de fá­cil acesso. Medindo 40m, suas águas puras nascem acima das quedas, de onde vêm saltando pela encosta e pelas pedras.

Cascatona
Para quem animar andar um pouco mais, há a opção da Cascatona. Uma trilha de 6 km por uma área de Mata Atlântica leva o visitante até o local. É con­sideravelmente fechada pelas árvores e com caminhos nem sempre muito fáceis de serem percorridos, especialmente no tempo das chuvas. A trilha vá­rias vezes se fecha e, nas partes mais acidentadas e íngremes, exige um esforço maior.

Chegando até à Cascatona, o visitante pode ir até o Oratório, de onde se tem bela vista panorâ­mica, e também pode descer até os poços da cachoeira, para um banho ou um mergulho em suas águas geladas. Para tanto, preci­sa descer pelas pedras, por um caminho muito escarpado e ín­greme, no local está sendo cons­truída uma escada, que facilitará muito o acesso do visitante.

Bocaína
A Bocaína encontra-se entre o Pico do Inficionado e a Caraça. É um grande desfiladeiro, neste contraforte da Serra do Espi­nhaço. É a Bocaina que propria­mente nomeou o Caraça como tal. Sua trilha, que atravessa um rio, tem uma extensão de 6 km e, além da beleza das montanhas e dos campos por onde se pas­sa, oferece uma série de quedas d’água, piscinas naturais e cór­regos para o descanso e o lazer. No tempo da seca, a caminhada pode ser feita com certa facili­dade, apesar da distância. Já no tempo das chuvas, fica um pou­co prejudicada, além de às vezes não ser possível atravessar o rio.

Tanque Grande
A trilha até o Tanque Gran­de não chega a 2 km e quando se chega lá é possível observar o lago artificial margeado por ve­getação, construído para gerar energia elétrica, com cerca 400 metros de comprimento por 100 metros de largura, mas ape­nas para desfrutar do visual, pois não é permitido nadar no local.

Taboões
Os Taboões estão a 4 km do Centro Histórico do Ca­raça. Pode-se ir de carro até certa altura da estrada asfal­tada. A trilha tem uma bifur­cação e ambos os caminhos levam ao local. O da direita leva a uma grande piscina natural. O da esquerda leva a corredeiras formadas por entre o leito rochoso do Ri­beirão Caraça. Oferecem oportunidade de descanso e lazer, possibilidade de nadar e se banhar. Inclusive, uma pequena duna de areia fina ajuda a formar pequena praia em uma de suas margens.

Banho do Belchior
O Banho do Belchior é uma corredeira de água, isto é, nem uma cachoeira nem um rio manso. A água cai como que cortando as rochas e fa­zendo várias piscinas naturais. Situa-se a 2 km do Centro His­tórico. O caminho é de fácil acesso, plano e sem desníveis.

Piscina
A Piscina do Caraça está num pequeno descampado, localizado a menos de 2 km do Centro Histórico. É rústi­ca, sem ladrilhos, e com água corrente. Um local muito apro­priado para o descanso, o lazer e a confraternização. Vai-se até lá pela estrada asfaltada, e é um dos poucos lugares do Caraça aonde se pode ir de carro.

Prainha


A Prainha (foto) é, como o próprio nome já diz, uma prainha, em que o Ribeirão Caraça passa tranquilamente, com suas margens embeleza­das por finíssima areia. Cami­nho de fácil acesso, recomen­dado para todas as estações. Muito apropriado para crian­ças, desde que acompanha­das por seus responsáveis, pois as águas são muito rasas e tranquilas, além de ser mui­to próximo do Centro Histó­rico, não chegando a 1 km.

Banho do Imperador
O Banho do Imperador era o local, onde, no tempo do Colégio, os meninos tomavam seu banho semanal. Quando da visita de Sua Majestade Dom Pedro II, o próprio Imperador, segundo o relato que fez em seu diário, ali tomou banho, dei­xando sua imperial assinatura no nome que até hoje este bos­que cheio de encantos, cortado pelo Ribeirão Caraça, carrega.

É um lugar muito procu­rado para lazer e confraterni­zações, por sua beleza, pelo clima agradável e ameno, devido às sombras das ár­vores, e pela facilidade de se nadar. Fica a poucos metros do Centro Histórico, bastan­do apenas descer pela estrada asfaltada.

Mais atrações

Gastronomia
A gastronomia do Caraça é um ponto que merece atenção especial dos visitantes. Além da experiência de comer no refeitório histórico, com toda a simplicidade e variedade de sabores da comida mineira, há uma adega no local onde dá para ver o processo de produção do vinho tinto, do hidromel e dos fermentados de laranja, jabuticaba e morango. Há também a padaria, que fabrica pães, bolos e biscoitos, e a doçaria, para doces, geleias e compotas. O queijo minas artesanal, cujo processo de fabricação existe há mais de 200 anos, é uma das delícias mais procuradas no Santuário e é matéria prima de vários pratos da região em concursos e festivais gastronômicos.

Fonte de conhecimento
O complexo é tombado como Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e Estadual. Foi escolhido como uma das Sete Maravilhas da Estrada Real. Conta com um amplo Conjunto Arquitetônico onde estão a primeira igreja de estilo neogótico do Brasil, o prédio do antigo Colégio (hoje Museu e Biblioteca), o hotel com 57 apartamen­tos e quartos, com capacidade para até 230 pessoas, e a Fazenda do Engenho, com 26 apartamentos.

O Complexo do Caraça possui enorme diversidade de fauna e flora, com raridades de animais e plantas no meio ambiente. Na ampla diversidade de sua fauna, há 386 espécies de aves, 42 espécies de répteis, 12 espécies de peixes e 76 espécies de mamíferos.

A Reserva Particular do Patrimônio Natural do Santuário do Caraça faz parte de duas importantes reservas ecológicas, as Reservas da Biosfera da Serra do Espinhaço Sul e a da Mata Atlântica, onde há diversas espécies de flora e fauna, algumas encontradas somente no Complexo do Santuário do Caraça, que fica na transição entre Mata Atlântica e Cerrado, onde também há campos rupestres. Em suas serras há nascentes, ribeirões e lagos que possuem águas de colora­ção escura, que carreiam material orgânico em suspensão.

Seu solo é rico em minérios, explorados nos séculos anteriores, e com grande concentração de quartzito ou rocha metamórfica. Desde 2011, passou a ser preservado contra exploração comercial. O clima tem baixas temperaturas e elevada umidade do ar, comuns em am­bientes de mata.

O território do Complexo do Caraça integra a Área de Proteção Ambiental ao Sul da Região Metropolitana de BH, onde começam duas grandes bacias hidrográficas, a do rio São Francisco e a do rio Doce, que abastecem aproximadamente 70% da população de Belo Horizonte e 50% da população de sua região metropolitana.

Comentários