As primeiras contas de água com o nome e o documento do usuário começaram a ser dis­tribuídas nesta sexta-feira, 8 de fevereiro. A entrega prossegue neste sábado (9). A identificação dos 194,4 mil consumidores do Departamento de Água e Esgo­tos de Ribeirão Preto (Daerp) será gradual e este primeiro lote, um piloto da modificação, vai chegar para 34 mil clientes, de dez bairros de três regiões da ci­dade: do Centro e da Vila Seixas (Central), do Jardim Sumaré, Jardim Irajá, Jardim Botânico, Jardim Canadá e City Ribeirão (Zona Sul) e do Jardim Paulista, Castelo Branco e Jardim Iguate­mi (Zona Leste).

Por causa do atraso na emis­são do primeiro lote, as contas que venceriam nesta sexta-feira tiveram o prazo para pagamen­to prorrogado para dia 18. Os leituristas do Daerp estão entre­gando os boletos e explicando às pessoas que, a partir de agora, a fatura virá com a identificação do proprietário e do usuário do imóvel. “Achei que ficou inte­ressante desta forma”, afirmou Marcos Antonio Sian, comer­ciante da rua José Bonifácio que recebeu sua conta na manhã desta sexta-feira.

Para Cleonicir Sitta Braga, que trabalha em um estacio­namento na mesma rua, “as mudanças ficaram muito boas”. Segundo o leiturista Luciano Nogueira Ribeiro, os funcioná­rios estão explicando aos usuá­rios o novo modelo de conta do Daerp, que passa a ter o nome e documento do proprietário e usuário. “As pessoas estão gos­tando da mudança”, afirmou Ribeiro. A primeira fatura com nome é do escritório do prefeito Duarte Nogueira Júnior (PSDB), no Jardim Sumaré, na Zona Sul.

A nova conta, que traz novo layout, tem, além do nome, o Cadastro de Pessoa Física (CPF) do usuário e o número da matrí­cula, que substitui o antigo códi­go de identificação. O superin­tendente do Daerp, Afonso Reis Duarte, explica que a mudança é extremamente importante porque vai permitir que a autar­quia passe a conhecer seu clien­te para cobrar a fatura de quem realmente consome o produto. Para ele, a medida é fundamen­tal para melhorar a cobrança e diminuir a inadimplência, que está em torno de 19,5%.

“Nós queremos reduzir esta inadimplência para a média bra­sileira no setor, em torno de 6%. É absurdo uma empresa possuir em torno de 20% de inadim­plência”, destaca. Isso significa que aproximadamente 38 mil consumidores estão em dívida com o Daerp – são 194,4 mil ligações em toda a cidade. Con­tudo, ele não soube informar o valor da dívida, já que o cálculo “não se trata de proporção dire­ta. Muitos inadimplentes devem mais de uma conta”.

O superintendente fez tam­bém balanço dos dois anos de gestão à frente do Daerp, mostrando os investimentos feitos em novas redes, equipa­mentos e veículos. Ele destacou a importância do projeto de setorização desenvolvido pelos técnicos da autarquia, com o objetivo de modificar o abas­tecimento na cidade e reduzir as perdas dos atuais 59,2% para 30% até 2021, e que vão exigir investimentos da ordem de R$ 100 milhões. Estes recursos fo­ram solicitados junto ao gover­no federal e estão em análise na Caixa Econômica Federal.

Comentários