GETTY IMAGES

 A Seleção Brasileira fez na noite desta sexta-feira um jogo tranquilo, porém longe de en­cantador diante da Bolívia, na estreia da equipe na Copa Amé­rica de 2019, no estádio do Mo­rumbi. Em um duelo que deixou a desejar tanto dentro quanto fora de campo, com uma pas­sividade impressionante dos torcedores presentes no local, Philippe Coutinho, em pênalti dado pelo VAR e em cabeçada sem goleiro, fez os gols que de­ram tranquilidade. Éverton, já no fim, assegurou o 3 a 0. 

O resultado deixa a equipe, vaiada ao final do primeiro tem­po e aplaudida no encerramento do jogo, na liderança do Grupo A, naturalmente, ainda à espe­ra da outra partida da chave. O duelo entre Venezuela e Peru será realizado a partir das 16h (de Brasília) deste sábado, na Arena do Grêmio. 

Os comandados de Tite agora terão a missão de enca­rar a equipe da Venezuela, na terça-feira, às 21h30 (de Bra­sília), em Salvador, na Arena Fonte Nova. Os brasileiros ainda treinam na Academia de Futebol, do Palmeiras, no sábado, antes de viajarem à Bahia. Os bolivianos, por ou­tro lado, encaram o Peru pou­co antes, às 18h30 (de Brasília) da terça-feira, no Maracanã. 

Assim que o apito inicial saiu, o público fez um silêncio impressionante para quem está acostumado a acompanhar jo­gos profissionais da elite do fute­bol. Conversas entre aficionados eram audíveis e qualquer berro ecoava. Sem qualquer cenário que remetesse a um duelo de suma importância, os jogadores não imprimiram pressão depois dos 15 minutos. Fernandinho, escalado como titular pelo meio, pareceu sem função tanto na marcação quanto na criação. 

A Seleção conseguiu algu­mas escapadas pelo lado direito com Richarlison, mas o atacante não teve a calma necessária para fazer os lances se transformarem em gol. A Bolívia chegou a ame­açar em escapadas de Raúl Cas­tro e Marcelo Moreno, mas se manteve bem postada na defesa. Ao final do primeiro tempo, algo previsível se confirmou: vaias da galera para uma decepcionante atuação da equipe. 

Brasil resolve rápido na volta 

O Brasil voltou para o segun­do tempo apostando na mesma pressão e conseguiu frutos logo de cara. Depois de chute de Ri­charlison dentro da área, a bola bateu na mão de Jusino. O VAR avisou o lance a Nestor Pitana, que apontou pênalti bem co­brado por Coutinho. Dois mi­nutos depois de abrir o placar, o mesmo Coutinho aproveitou cruzamento perfeito de Firmino e desviou para o gol de Lampe para ampliar. 

O jogo havia diminuído o ritmo quando Tite mandou um dos poucos jogadores que atu­am no país a campo: Éverton. O Cebolinha, como o próprio treinador faz questão de chamar, tratou de aproveitar a chance: Puxou bons ataques e deixou sua marca ao limpar a marcação pela esquerda, ajeitar e mandar forte, no canto direito. Lampe nem se mexeu e foi um espec­tador de luxo para o lance mais bonito do jogo. 

Comentários