Coronavírus em SP – Estado registra 85 casos suspeitos

0
22
REUTERS

A Secretaria de Estado da Saúde anunciou que, até esta quinta-feira, 27 de fevereiro, monitora 85 casos suspeitos do novo coronavírus (Covid-19). A maioria (64,7%) tem históri­co de viagem à Itália (55) e os demais passaram por Espa­nha (dois), Singapura (um), Portugal (um), Alemanha (seis), França (quatro) e Chi­na (dois). Além desses, houve um que passou por diversos países da Ásia e outros 13 em fase de definição do país de provável infecção.

Além dos sintomas respi­ratórios, os pacientes têm his­tórico de viagem ou contato com caso suspeito. Entre as 85 pessoas, 47 residem na ca­pital. Também estão na lista o empresário de Ribeirão Preto, de 42 anos, que viajou a traba­lho para Milão, e a estilista de Franca, de 36 anos, que tam­bém esteve na mesma cidade, na região da Lombardia, no norte da Itália. A suposta in­fecção foi notificada por um hospital particular à Vigilância Epidemiológica Municipal.

A mulher apresentou pro­blemas respiratórios, passou por atendimento médico na quarta-feira (26) e está sendo monitorada em casa – foram coletadas amostras para exa­mes que serão enviadas ao Ins­tituto Adolfo Lutz. As pessoas que tiveram contato com a paciente estão sendo acompa­nhadas nas próprias residên­cias e foram orientadas sobre sinais e sintomas da infecção (febre, tosse seca, dor de gar­ganta e coriza).

O caso é acompanhado pela Vigilância Epidemiológica Es­tadual. Apesar da tosse, ela não apresenta febre. A Secretaria da Saúde de Barretos também informou nesta quinta-feira (27) que investiga um caso suspeito de coronavírus, mas a suspeita não aparece na lis­ta da pasta estadual. Segundo a prefeitura, a paciente apre­senta sinais e sintomas da doença e teve contato direto com pessoa sintomática pro­cedente do Japão, há menos de dez dias.

Casos só são oficialmente reconhecidos como suspeitos após confirmação do Ministé­rio da Saúde, o que ainda não ocorreu. Em nota, a prefeitu­ra de Barretos informou que a paciente está em isolamento domiciliar porque apresenta sinais clínicos estáveis, mas segue monitorada. A secreta­ria segue todas as orientações do protocolo estabelecido para a doença.

O primeiro caso de Co­vid-19 foi confirmado na ter­ça-feira (25), num residente da capital que esteve na Itália em fevereiro. Retornou ao Brasil em 21 de fevereiro e apresentou sintomas suspeitos, como tos­se, coriza e febre, compatíveis com a suspeita de coronavírus. O homem de 61 anos foi atendi­do no Hospital Israelita Albert Einstein, que fez o diagnóstico, confirmado com contraprova no Instituto Adolfo Lutz, labora­tório de referência nacional para análise de amostras casos sus­peitos, conforme definição do Ministério da Saúde.

O homem está em isola­mento domiciliar, estável. Ele é o primeiro paciente com co­ronavírus na América Latina e reuniu-se em uma confra­ternização com cerca de 30 parentes no domingo de car­naval, dia 23, antes de apre­sentar os sinais e sintomas compatíveis com a doença (fe­bre, tosse seca, dor de garganta e coriza). Todos os familiares estão sob monitoramento da vigilância sanitária.

No total, as autoridades en­trarão em contato com até 60 pessoas que estiveram próxi­mas ao paciente diagnosticado em São Paulo – os 30 familia­res, os 16 passageiros e outras pessoas. Apesar de ser consi­derado um caso que exige “alta vigilância”, a esposa deste ho­mem não apresenta sintomas da doença.