Covid-19 – Média de óbitos despenca em RP

0
33
RAHEL PATRASSO/REUTERS

Ribeirão Preto registrou mais uma morte por covid-19, segundo o Boletim Epidemio­lógico da Secretaria Municipal da Saúde divulgado nesta se­gunda-feira, 23 de novembro, com dados do final de semana. Já faz quatro dias que a cidade não registra óbitos, desde quin­ta-feira (19), quando uma mu­lher de 45 anos faleceu.

Ela estava em tratamento contra doença cardiovascular crônica. A quantidade de óbitos provocados pela doença subiu de 881 para 882. Sobre a evolu­ção das mortes por covid-19 na cidade, a tendência é de queda na comparação semanal.

Entre 9 e 15 de novembro, ocorreram onze falecimen­tos na cidade, média inferior a duas por dia (1,6). Nos sete dias subsequentes, entre 16 e 22 de novembro, foram confirmados apenas dois óbitos. A média é de um a cada 84 horas, com recuo de 81,8%, nove casos a menos.

Em 12 de outubro não houve falecimento. Isso não acontecia desde 28 de maio. Em novem­bro, já são nove dias sem óbitos. Não houve mortes computadas nos dias 4, 7, 8, 10, 16, 18, 20, 21 e 22. O boletim de segunda-feira traz dados até domingo (22).

A média móvel dos últimos sete dias, de dois óbitos, é a mais baixa em maid e seis meses de pandemia. A mais alta ainda pertence ao período de 18 a 24 de julho, de 59 falecimentos. O recorde de mortes em 24 horas pertence a 24 de julho, com 13.

O município superou a mar­ca de 33 mil pacientes infectados pelo Sars-CoV-2 nesta semana – são 33.063. O Boletim Epide­miológico do Departamento de Vigilância em Saúde contabiliza a data do início dos sintomas e do diagnóstico da doença.

Há registro de 46 mortes em outubro, mas 101 óbitos ocorreram no mês passado, três por dia. O maior volume é de julho (243). Há o registro de dois óbitos em novembro, apesar de os relatórios apon­tarem 22. Os meses com me­nos falecimentos são março (dois, a pandemia começou em meados do mês em Ribei­rão Preto) e abril (onze).

A taxa de letalidade segue em 2,7% – chegou a 5,3% em abril e em maio. Está no mes­mo patamar dos índices regio­nal (2,7%), nacional (2,8%) e do mundial (2,4%), mas abai­xo do estadual (3,4%). A mais baixa até agora é a de outubro, com média de 1,4%.

A taxa de mortalidade por 100 mil habitantes na pande­mia é 123,7. As mais baixas são de março (0,3), abril (1,6) e outubro (5,4). A mais alta é de julho (34,6). No dia 16, a taxa de incidência de óbitos dos últimos 14 dias voltou a subir de 1,83 para 2,11 por 100 mil habitantes, mesmo índice de quinta-feira (12).

Por sexo, são 486 ho­mens (55,1%) e 396 mulheres (44,9%). A vítima mais jovem da covid-19 em toda a pande­mia é um menino de oito anos que morreu em 19 de outubro e a mais idosa, uma senhora de 101 anos que faleceu no dia 20 de junho.

As mortes por covid-19 em RP
Sexo
Masculino………………………………………………………………. 486 (55,1%)
Feminino………………………………………………………………… 396 (44,9%)
Maiores de 60 anos…………………………………………………. 738 (83,7%)
Menores de 60 anos………………………………………………… 144 (16,3%)
Com comorbidades…………………………………………………. 812 (92,1%)
Sem comorbidades……………………………………………………….10 (1,2%)
Sob investigação………………………………………………………….60 (6,8%)
Taxa de letalidade……………………………………………………………… 2,7%
Total de morte…………………………………………………………. 882 (100%)
Total de casos……………………………………………………………….. 33.063

Comentários