30.6 C
Ribeirão Preto
13 de agosto de 2022 | 16:40
Jornal Tribuna Ribeirão
JOHAN GODOY/AFP
Mundo

Cratera surge no Atacama chileno

Equipes do Serviço Nacio­nal de Geologia e Mineração do Chile (Sernageomin) tra­çaram um perímetro de segu­rança de 100 metros em torno da cratera que surgiu repenti­namente na comunidade de Tierra Amarilla, no deserto do Atacama, anunciou o órgão na terça-feira, 2 de agosto. Espe­cialistas e autoridades locais trabalham em conjunto da re­gião para determinar a causa e os riscos à segurança dos mo­radores da comunidade, loca­lizada a cerca de 600 metros do local em que a cratera se abriu.

Mais de 30 metros
A cratera foi identificada no sábado, 30 de julho, por um morador da região, se­gundo declaração do prefeito Cristóbal Zúñiga ao jornal espanhol El Mundo. Uma medição inicial apontou que o diâmetro do buraco tinha aproximadamente 25 metros, mas novas medições realiza­das na segunda-feira, dia 1°, apontaram que a cratera con­tinuou a crescer, atingindo 32 metros de diâmetro e 64 me­tros de profundidade.

Deslizamentos
De acordo com Zúñiga, foi possível ouvir os deslizamen­tos de terra que provocaram o alargamento da cratera de per­to do local nos últimos dias. Os especialistas do serviço geoló­gico chileno chegaram à região na segunda-feira para levantar informações para um relatório técnico que deverá explicar o que provocou o surgimento da cratera e possíveis riscos.

Mineradora
Apesar de não ter divulga­do informações detalhadas até o momento, autoridades locais relataram à imprensa que a pre­ocupação com o impacto cau­sado pela atividade de empresas de mineração na região é recor­rente – o local onde a terra se abriu fica em um terreno onde a mineradora Candelaria explo­ra a mina subterrânea de cobre Alcaparrosa.

“Nos preocupa, já que é um temor que sempre tivemos como comunidade, pelo fato de estarmos rodeados de jazidas de minérios e trabalhos subterrâne­os embaixo da nossa comuna”, declarou Zúñiga ao El Mondo. E acrescentou: “nós solicitamos que seja esclarecido qual é o motivo e porque aconteceu esse evento, quais são as razões, se é que a cratera é produto da ati­vidade mineira que há embaixo (da terra) ou se trata de algo de outra natureza”.

Jornal de 1993
Na terça-feira, o perfil da prefeitura de Tierra Amarilla no Twitter compartilhou a repro­dução de um recorte de jornal de 1993, mostrando um desmo­ronamento de terra provocado pela atividade em uma mina subterrânea dentro dos limites da cidade. “O solo urbano de Tierra Amarila colapsou como resultado da atividade mineira, como o de março de 1993 na mina Santos”, dizia a publicação.

Na legenda do recorte de jor­nal, é possível ler: “em um setor próximo às atuais dependências da mina Santos, se produziu na madrugada de ontem um novo desmoronamento provocado por correntes subterrâneas de água que engoliram um casarão, se­gundo a explicação da empresa”.

Segundo o diretor nacional da Sernageomin, operações em conjunto com técnicos da empresa Candelaria constata­ram que o evento não provo­cou vítimas e nem afetou dire­tamente as operações na mina de cobre e nem os habitantes de Tierra Amarilla.

“Este evento não afetou as pessoas, nem as equipes, nem as instalações tanto do subterrâneo quanto da superfície da mina. A companhia suspendeu os tra­balhos abaixo do perímetro da cratera”, disse, segundo comu­nicado publicado pela entidade.

Mais notícias

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com