A ex-presidente da Argentina e atual senadora Cristina Kirchner foi indiciada na segunda-feira, 11, por manter em casa documentos históricos, encontrados durante operação de busca e apreensão em um imóvel no sul do país.

Cristina mantinha em casa um prontuário do ex-presidente Hipólito Yrigoyen e uma carta que o libertador José de San Martín escreveu, na França, para o chileno Bernardo O’Higgins, em 1835. Cristina, que enfrenta oito processos diferentes, disse ser perseguida pela Justiça. (Com agências internacionais)

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários