Daerp – Fiscais flagram mais um ‘gato’ na cidade

0
67

A equipe de fiscalização do Departamento de Água e Esgo­tos de Ribeirão Preto (Daerp) encontrou, nesta quinta-feira, 5 de dezembro, mais uma ligação clandestina, o popular “gato”. A fraude estava em uma residência no Jardim Salgado Filho, na Zona Norte de Ribeirão Preto. O usuá­rio será autuado em R$ 3.979,50 (150 Ufesps, Unidades Fiscais do Estado de São Paulo, cada uma vale R$ 26,53 neste ano).

Além da multa, o Daerp faz uma média do consumo real e cobra a diferença dos últimos 60 meses – cinco anos. Os fiscais fo­ram até o imóvel depois de uma denúncia e constataram a fraude. Após abertura da base do cavale­te, onde está instalado o hidrô­metro, foi encontrado um “T” com um cano saindo da rede do Daerp direto para o imóvel, sem passar pelo hidrômetro.

Entre janeiro e outubro os fiscais localizaram, em média, doze fraudes por mês na cida­de. Ao todo, foram encontradas 129 “gambiarras”. A fiscalização também encontrou outras frau­des que, somadas, chegam a 665 autuações. Para o diretor Co­mercial e Financeiro do Daerp, Marcus Berzoti Ribeiro, a cons­tância no número de flagrantes de fraudes em hidrômetros e ligações clandestinas se deve ao trabalho intenso da fiscalização. O diretor lembra que é impor­tante a população denunciar estas fraudes através do telefone 115.

“Nós estamos ampliando cada vez mais as ações da fiscali­zação, com o objetivo de inibir as fraudes. Quem frauda o sistema não prejudica apenas o Daerp com a falta de pagamento, mas também a população, porque reduz a quantidade de recursos para a manutenção dos serviços e investimentos. E prejudica a si próprio porque a punição fi­nanceira tem valor significativo”, afirma Marcus Berzoti Ribeiro.

No primeiro semestre deste ano, o número de autuações por ligação clandestina foi de 81, alta de 35% em relação ao mesmo período de 2018, quando foram registradas 60 autuações, 21 a mais em 2019. Também cres­ceu a autuação por hidrômetros danificados, que em 2018 foram 66 e neste ano foram 86 no pri­meiro semestre, um aumento de 30%, com 20 a mais.

Neste ano, os fiscais do Daerp já encontraram ligações clandestinas, fraudes e outros tipos de violação em imóveis em vários bairros nobres da cidade. Também já encontraram todo tipo de problema em lava-jatos, chácaras, churrascarias, restau­rantes e postos de combustíveis. No primeiro semestre deste ano, de janeiro a junho, a fiscalização do Daerp emitiu 406 autuações por fraudes e ligações clandes­tinas. Deste total, o número de “gatos” foi de 81, quase 20%.

Em 2018, o número de au­tos emitidos pelo setor de fis­calização teve um acréscimo de 21,46%, ou 228 a mais – foram realizadas 1.290 autuações, con­tra 1.062 em 2017, envolvendo todo tipo de fraude em ligações de água na cidade, como os “gatos” (clandestina), fraude no hidrômetro e fornecimento irre­gular de água para terceiros.

No ano passado, foram flagra­dos 209 “gatos” – média de 17 por mês. A autarquia tem, atualmente, 199.700 ligações de água. Os esta­belecimentos foram autuados em 150 Unidades Fiscais do Estado de São Paulo (Ufesps, cada uma vale R$ 26,53 neste ano, o equi­valente a R$ 3.979,50) e também terão de pagar a diferença de consumo dos últimos 60 meses.