Daniel Alves diz que São Paulo terá de ser ‘perfeito’ para vencer River

0
31
RUBENS CHIRI/SPFC

O São Paulo vai ter de ser “perfeito” na Argentina se qui­ser derrotar o River Plate, nesta quarta-feira, e se manter vivo na luta por vaga às oitavas de final da Copa Libertadores. A conclusão é do meia Daniel Alves, líder do elenco e passan­do para o grupo seus conheci­mentos de grandes batalhas no futebol. Recuperado de fratu­ra no antebraço direito, o ca­misa 10 são-paulino encarou o Internacional, no final de semana, e diz estar forte para chegar inteiro na partida deci­siva em Avellaneda.

Ele garante estar bem fisi­camente, apesar de ter abre­viado a fase de recuperação, e pronto para ajudar o São Paulo a renascer na Liberta­dores. “(Os médicos) Fizeram de tudo para eu poder ajudar. Agora é ter muita concentra­ção e personalidade. Será um jogo bastante difícil, diante de um adversário histórico”, en­fatizou Daniel Alves, em en­trevista à São Paulo TV, nesta terça-feira.

Apesar de todo o cenário desfavorável, o jogador esbanja confiança no grupo são-paulino e tem na ponta da língua qual o repertório a ser apresentado no estádio libertadores da américa

“Precisamos apresentar um nível de competitividade alto. Temos de estar concentrados, no limite da perfeição, porque o adversário é muito capacita­do”, avaliou. “Pelos jogadores experientes que (o River Plate) tem, se torna um jogo mais di­fícil. Porém temos nossos ar­gumentos também, apesar de uma equipe mais jovem. Essa falta de experiência é com­pensada pela disposição, isso aumenta nossas chances de poder competir bem”.

Daniel Alves será a voz de Fernando Diniz em campo. O treinador festejou muito po­der contar com o jogador, que orienta e acalma os jovens, so­bretudo da defesa. E o camisa 10 promete não se esconder e já deu seu pitacos de como o torcedor pode ver o time nesta quarta-feira.

“É um jogo que temos de saber competir, diante de uma equipe bem entrosada. Que vem atuando há um bom tem­po junto, que já enfrentei e sei que é sempre complicado pela experiência e o conjunto. Te­mos de ser mais eficiente nas chances criadas e ficarmos menos expostos”, listou. “Se conseguirmos não ficar expos­tos, temos mais chances de buscar o objetivo.

O São Paulo não será eli­minado matematicamente em caso de empate na Argentina, mas teria de tirar 11 gols de saldo do River Plate na ro­dada final, algo praticamente impossível. Por isso, o time vai para o tudo ou nada nesta quarta-feira. Fernando Diniz promete time na frente, em busca da vitória.

Comentários