Deputado denuncia desperdício em RP

0
1951
FOTOS: DIVULGAÇÃO

O deputado federal Ri­cardo Silva (PSB) denunciou o suposto abandono de do­cumentos da prefeitura de Ribeirão Preto em um dos almoxarifados do município, num dos antigos galpões da Ceagesp, localizado na ave­nida Bandeirantes, na Zona Oeste de Ribeirão Preto.

Na segunda-feira, 1º de junho, em companhia do vereador Orlando Pesoti (PDT), Silva esteve no local e fotografou documentos oficiais da prefeitura aban­donados, como arquivos de projetos e secretarias e plani­lhas com dados cadastrais de moradores.

O parlamentar afirma que também foram encontrados três veículos zero quilôme­tro adquiridos em 2019 com verba federal e que deveriam estar atendendo a população. Eles ainda estão sem placas e documentação. Afirma ainda ter encontrado uma grande quantidade de medicamentos com validade vencida e des­cartados de forma irregular.

Entre os remédios es­tariam o cloridrato de me­tformina, para diabetes, o Nociclin, que serve como contraceptivo oral, e a Nis­tatina, pomada usada no tratamento de candidíase. O galpão estaria em situação totalmente insalubre para os funcionários e teria ainda di­versos materiais de escritório,

O deputado diz que en­controu também aparelhos de ar-condicionado deterio­rados, equipamentos médi­cos, como suportes de soro e macas, carrinhos apreen­didos de ambulantes e vários sacos de copos descartáveis novos, entre outros.

Para Ricardo Silva, “é re­voltante ver tanta verba pú­blica ser tratada desta forma. É dinheiro da população de Ribeirão sendo desperdiça­do. Não se pode lidar com recursos públicos assim, de maneira irresponsável, en­quanto o governo municipal repete sempre que há falta de verbas”, diz.

“Muito do que está ali, como se fosse lixo, sucata, poderia estar sendo usado em favor das pessoas, mas tudo está à mercê de danifi­cação e depredação”, ressalta. O parlamentar anunciou que irá tomar as medidas cabíveis. Entre elas, a formalização de denúncia junto ao Ministério Público Federal (MPF).

“Vamos apresentar re­querimento de informação, pela Câmara dos Deputados, ao Ministério da Saúde para descobrirmos o valor do pre­juízo que se encontra naquele depósito. Além disso, fare­mos denúncia ao Ministério Público Federal e também à Promotoria de Justiça do Es­tado”, completa.

Questionada sobre as de­núncias, a prefeitura informou ao Tribuna que os bens inser­víveis localizados no galpão serão leiloados no próximo mês. Diz o texto: “É importan­te esclarecer que o leilão de bens inservíveis ocorre desde o início do ano e o último, arrecadou cerca de R$ 240 mil aos cofres públicos. Além de impacto direto na reorga­nização de pátios e espaços internos das secretarias mu­nicipais, o leilão eletrônico permitirá que os galpões uti­lizados para o armazenamen­to dos itens leiloados, após a retirada pelo arrematante, sejam limpos e desocupados.

Importante esclarecer que o galpão tem a capacidade de abrigar diversos setores, portanto, no mesmo local em que se encontram os ma­teriais inservíveis das secre­tarias municipais há outros setores, separados e em espa­ços distintos. Já, em relação aos veículos, a Secretaria informa que estão sendo finalizados processos de aquisição de do­cumentações, como licencia­mento, emplacamento, segu­ros e plotagem”, conclui a nota.