FL PITON-CCS

O prefeito Duarte Noguei­ra Júnior (PSDB) e o secretário municipal da Saúde, Sandro Scarpelini, acompanharão na manhã desta sexta-feira, 15 de março, o início dos trabalhos do Dia “D” de combate ao mosqui­to Aedes aegypti – transmissor da dengue, do zika vírus, da fe­bre chikungunya e da amarela na área urbana. O grande mu­tirão de limpeza, que envolverá mais de 350 pessoas, será con­centrado nos bairros das zonas Norte e Oeste de Ribeirão Preto.

Estas regiões têm maior número de casos de dengue confirmados. O arrastão de lim­peza, coordenado pelo Departa­mento de Vigilância em Saúde e Planejamento, terá início às 7h30, com previsão de término às 13h30. A ação envolverá 355 pessoas, entre agentes de com­bate de endemias da Divisão de Vigilância Ambiental em Saúde e agentes comunitários, com o suporte de 38 caminhões, além de 30 veículos e motoristas que transportarão 35 equipes para o trabalho de campo.

Luzia Marcia Romanholi Passos, diretora do Departa­mento de Vigilância em Saúde, ressalta a importância das ações de mobilização promovidas pela prefeitura, aliadas à conscienti­zação da população, como os únicos caminhos para evitar a proliferação das doenças transmitidas pelo mosquito. “Pedimos às pessoas que aju­dem nessa mobilização e já se preparem, que deixem sepa­rado somente o que é consi­derado possível criadouro do mosquito para que possamos recolher com agilidade”, diz.

“A conscientização das pes­soas é muito importante, além da coleta do material, orienta­mos a população sobre os riscos em deixar água parada nessa época de chuva, o que contribui para o aumento de proliferação do mosquito”, orienta. Somente serão retirados recipientes que podem servir como potenciais criadouros do Aedes aegypti.

Ribeirão Preto não enfrenta epidemia de dengue desde 2016, quando 35.043 pessoas foram vítimas do Aedes aegypti. Po­rém, segundo o último Boletim Epidemiológico, divulgado no dia 6 de março, a cidade regis­trou 388 casos de dengue entre 1º de janeiro e 28 de fevereiro deste ano, 306 a mais do que os 82 do primeiro bimestre de 2018, alta de 373,2%. Grande parte é do sorotipo 2, que é mais forte e contra o qual a população não está imune. Há ainda 2.337 ocorrências sob investigação.

O número de vítimas do Aedes aegypti na cidade em 59 dias de 2019 já é 43,2% superior ao total do ano passado, quando Ribeirão Preto contabilizou 271 ocorrências – os dados foram atualizados em março –, com 117 pacientes a mais. Em 2017, foram registrados 246 casos, o volume mais baixo dos últimos doze anos. Neste ano, dos 388 pacientes, 121 são da Zona Les­te, mais 89 da Oeste, 94 da Norte, 26 da Sul, outros 45 na Central e 13 sem identificação do distrito.

Ação no centro da cidade – A equipe de Informação, Edu­cação e Comunicação (IEC) da Divisão de Vigilância Ambien­tal em Saúde estará, na manhã desta sexta-feira, dia 15, em frente ao Centro Cultural Pa­lace, na Esplanada do Theatro Pedro II, disponibilizando in­formações à população, apre­sentando demonstrações de criadouros do mosquito Aedes Aegypti e informações sobre como eliminá-los.

Comentários