“América Armada” (2019), filme que  acompanha o trabalho de três ativistas que, ameaçados de morte, resistem à violência no Brasil, na Colômbia e no México, estreia no Canal Brasil na quarta, dia 16/06, às 20h. Na luta, os três usam “armas” como a informação, a conscientização e o afeto. Dezenas de casos de pessoas mortas, sequestradas e desaparecidas, acompanhados de testemunhos comoventes e imagens em tempo real da violência policial foram selecionados pelos diretores Alice Lanari e Pedro Asbeg para compor o documentário.

Raull Santiago é um jovem que nasceu e cresceu no Complexo do Alemão. Membro do Coletivo Papo Reto, munido de seu celular e determinação, transmite em lives as ações e abusos da polícia em sua comunidade. A colombiana Teresita Gaviria perdeu seu filho assassinado há dezoito anos, e, desde então, tornou-se militante do grupo Madres de La Candelária, que promove o encontro entre outras mulheres que estão na mesma situação que ela, com os assassinos presos de seus filhos e filhas. O mexicano Heriberto Paredes é um jornalista que, mesmo ameaçado de morte, acompanha a luta de grupos de autodefesa compostos por indígenas que resolveram pegar em armas para defender seus territórios e suas vidas contra o narcotráfico.

O processo de filmagem, nos três países, exigiu a construção de confiança entre a equipe e esse trio de ativistas. Com equipe mínima e uma câmera que observa sem interferir, o documentário registra o trabalho dessas pessoas em campo. “O ‘América Armada’ nos ajudou a compreender o fenômeno que estamos vivendo no Brasil – de militarização da sociedade civil – como algo que vai bem além do nosso país, e que está intrinsecamente ligado ao que vem ocorrendo em outros países da América Latina nos últimos anos”, explica Lanari. E complementa que a estrutura do longa é como uma rede, onde as diferenças históricas e culturais de cada país estão presentes, mas os processos sociais são vistos como peças de um mesmo jogo, que se repete em distintos tabuleiros”.

 

América Armada (2019) (76’)
ESTREIA
Horário:
 quarta, dia 16/06, às 20h
Classificação: 12 anos
Direção:  Alice Lanari, Pedro Asbeg
Reapresentações: quinta, dia 17/06, às 17h35; sexta, dia 18/06, às 15h30; e segunda, dia 21/06, às 13h45.