O ecossistema empreen­dedor de Ribeirão Preto conta, hoje, com 175 startups ativas: a maior parte das empresas são atuantes nas áreas de Tecnologia da Informação e Saúde, ambas representando 29,7% das em­presas, seguidas pelas atuantes em Educação (11,4%) e Agrone­gócio (10,3%).

Os dados são do Mapea­mento do Ecossistema de Ino­vação realizado pelo Supera Par­que de Inovação e Tecnologia, divulgado nesta quinta-feira, 18 de julho, durante a programa­ção do Inova Ribeirão. O estudo tem como objetivos fomentar a inovação, incentivar o desenvol­vimento e a conexão de pessoas e fortalecer o ecossistema de ne­gócios da cidade e região.

“O mapeamento é uma for­ma de conhecer quais são as em­presas que estão gerando inova­ção na cidade e identificar quais as áreas de atuação estão em desenvolvimento. Ribeirão Pre­to esteve sempre muito voltada para a área da saúde, entretanto, entendemos que existe um cres­cimento significativo de outros setores nos últimos anos, prin­cipalmente em setores como o agronegócio e a educação”, ex­plica Eduardo Cicconi, gerente do Supera Parque.

“Conhecer quem são e quais as áreas de atuação dessas em­presas é importante para pensar em novas políticas de incentivo para o desenvolvimento dos se­tores, além de ações que sejam capazes de colocar todas em uma mesma página, atrain­do e gerando novos negócios para as empresas e para a cida­de”, ressalta. As demais áreas de atuação contempladas no estudo são: Finanças (9,1%), Varejo e Marketing (8,6%) e Biotecnologia (5,7%).

Para o estudo 225 startups foram analisadas e 175 classifi­cadas com base nos seguintes critérios: ter um site ativo, ser de base tecnológica, ter tempo de vida inferior a dez anos e pro­duto e/ou serviço escalável. “Le­vamos em consideração o con­ceito de que uma startup é uma empresa que faz uso intensivo de tecnologia e que tem como característica a inovação de seus produtos e serviços, que podem ser escaláveis e replicáveis para grande número de pessoas e em curto espaço de tempo”.

“Ecossistema”
Ribeirão Preto se destaca como ambiente propício para o desenvolvimento de negócios de base tecnológica. A cidade conta com mais de 50 progra­mas de pós-graduação, é sede da Universidade de São Paulo, do Supera Parque de Inovação e Tecnologia, de duas acele­radoras de empresa – o Sevna Startups e a Pluris Aceleradora, e conta ainda com um capítulo do Founder Institute.

“A cidade está entre as que mais aprovam projetos em em­preendedorismo de alto im­pacto. As empresas de Ribeirão estão classificadas no ranking das que mais receberam verbas do programa Pesquisa Inova­tiva em Pequenas Empresas da Fapesp”, diz.

O Supera Parque de Inova­ção e Tecnologia de Ribeirão Preto, gerido pela Fipase, é resul­tado de uma parceria entre Uni­versidade de São Paulo (USP), prefeitura de Ribeirão Preto e Secretaria de Desenvolvimento do Estado de São Paulo. Insta­lado no campus da USP local, o parque abriga a Supera Incuba­dora de Empresas.

Também abriga o Supera Centro de Tecnologia, a associa­ção do Arranjo Produtivo Local (APL) da Saúde, o Polo Indus­trial de Software (PISO), além do Supera Centro de Negócios. Ao todo, são 78 empresas instaladas no parque, sendo 58 delas na Su­pera Incubadora de Base Tecno­lógica, doze empreendimentos no Centro de Negócios e oito na aceleradora Sevna Startups.

Comentários