Escola na TV estreia no dia 3

0
78
ALEXANDRE DE AZEVEDO/CCS

O programa Escola na TV, uma parceria entre a Secretaria Municipal da Educação e a Câ­mara de Vereadores, terá início nesta segunda-feira, 3 de agosto, para os cerca de 47 mil alunos matriculados nas 108 escolas da rede de ensino do município, desde o infantil à Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Todos terão acesso a aulas complementares transmitidas na TV Câmara, de segunda a sexta-feira, das oito às 14 ho­ras. A gravação e a transmissão ocorrerão nos estúdios da TV Câmara, tanto com aulas ao vivo, com possibilidade de inte­ração simultânea entre alunos, professores e até mesmo fami­liares, quanto com conteúdos gravados cedidos por parceiros da secretaria como o Centro de Mídias SP, Vamos Aprender TV e Fundação Lemann.

Além disso, foi criado um canal de WhatsApp – (16) 3977- 9109 – para envio de perguntas e compartilhamento de conteúdo. O programa contará com intér­prete de Libras (Língua Brasileira de Sinais) e poderá ser acessado pelos canais 31.4 na TV digital, canal 9 no Ao Vivo TV, e nas pági­nas do Escola na TV de Ribeirão Preto no Facebook e no Youtube.

“Nossos professores e equi­pe pedagógica se uniram para tornar esse projeto realidade e, assim, oferecer um conteúdo complementar às atividades de ensino remoto durante a pan­demia. Essa iniciativa é funda­mental para garantirmos acesso mais democrático às atividades escolares remotas, para fazer com que os estudantes mante­nham o hábito dos estudos”, diz o prefeito Duarte Nogueira Jú­nior (PSDB).

A TV é um veículo de comu­nicação que proporciona maior acesso, ainda mais em um ca­nal aberto como a TV Câmara”, emenda. O programa Escola na TV é uma ação complementar às medidas tomadas pela pre­feitura desde que as atividades presenciais foram suspensas em decorrência da pandemia do novo coronavírus. O objetivo é oferecer igualdade de condições para o acesso ao ensino.

A televisão é um veículo universal – e mais democrática porque parte dos alunos não tem acesso à internet. Nogueira diz ainda que a meta é a “per­manência na escola, orientar famílias e auxiliar alunos na re­alização das atividades escolares, fortalecer o vínculo entre escola, alunos e famílias, além de difun­dir protocolos e medidas para a prevenção ao contágio do novo coronavírus”, explica.

O horário de transmissão será divido para cada etapa de ensino e trabalhará com os te­mas linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas e temas transversais. Outros conteúdos poderão ser oferecidos como reforço, por exemplo, aulas de Libras para os estudantes da educação especial.

A programação será di­vulgada com uma semana de antecedência aos pais e alu­nos. A parceria será mantida no período pós-pandemia como alternativa para ofere­cer atividades pedagógicas complementares, mitigando e corrigindo as consequências da defasagem na aprendizagem dos alunos da rede municipal.

“O objetivo do programa é oferecer conteúdo educacional de qualidade para ser veiculado na TV aberta como estratégia para o ensino remoto. Não pre­tendemos substituir o conteúdo que está sendo oferecido pelas escolas, mas complementar as atividades com foco em todos os alunos com conteúdos alinha­dos ao referencial curricular do município”, diz o secretário da Educação, Felipe Elias Miguel.

Ensino remoto
As aulas presenciais da rede municipal de ensino foram sus­pensas em 23 de março, após publicação do decreto de esta­do de calamidade pública que interrompeu o funcionamento dos serviços não essenciais em Ribeirão Preto devido à pande­mia do novo coronavírus.

A partir daquela data, as escolas municipais adotaram a modalidade de ensino remoto, numa parceria entre diretores e vice-diretores das unidades escolares, coordenadores pe­dagógicos, docentes e Secreta­ria da Educação para planejar ações e atividades.

O Programa Escola na TV soma-se às parcerias firmadas com o Google for Education e com o Centro de Mídias, do go­verno do Estado de São Paulo, que possibilitam outras ferra­mentas de transmissão e realiza­ção das atividades pedagógicas não presenciais.

Os estudantes que não têm acesso à internet, ou mesmo celular ou computador para acompanhar as atividades, têm a opção de retirar os conteúdos impressos na escola. Em Ribei­rão Preto, no início deste ano, 46.921 estudantes – 22.696 do ensino infantil e 24.225 do fun­damental – estavam matricu­lados. A rede municipal conta com 108 escolas – há unidades em construção –, das quais 75 unidades de educação infantil e 33 de ensino fundamental.

Comentários