Além disso, durante a audiência foi anunciada a implantação de uma área específica para compras e atendimento de toda a rede no tocante à material tecnológico. “Estamos iniciando um processo de implantação de um centro de compras na Educação, para apoiar os municípios e as unidades de Educação na aquisição de novas tecnologias”, explica Renilda Peres, chefe de gabinete da Educação.

“O propósito da audiência é dar toda a transparência possível aos processos da Educação. Queremos discutir nossa proposta, apresentar nossas necessidades e garantir que façamos uma aquisição assertiva e que preencha tudo aquilo que os servidores precisam”, explica Thiago Cardoso, coordenador da CITEM (Coordenadora de Informação, Tecnologia, Evidências e Matrícula) na Secretaria da Educação.

Os Chromebooks são destinados para uso em sala de aula, por professores, enquanto os notebooks são destinados para o uso dos servidores nas Diretorias de Ensino. “O professor pode acessar o aplicativo do diário de classe e fazer chamadas e processa faltas pelo Chomebook. O uso também está aberto a alunos, que podem usar o Aplicativo do Aluno”, explica Raquel Favaro, diretora do DESUP.

Serão feitas mais duas audiências públicas, uma em agosto e outra em setembro, para discutir o tema. A partir da aprovação da compra, o prazo de entrega nas unidades é de trinta dias.

Melhoria do Parque Tecnológico está conectado com o Inova Educação

As audiências acontecem num momento no qual a Educação começa a se adequar ao Inova Educação, nova política educacional de São Paulo. Além do curso de formação de professores, que acontece até dia 18 de agosto, diversas ações estão acontecendo na rede, como o I Seminário EFAPE: Aprendizagens, reuniões da COPED e outras ações.

“São Paulo é uma rede gigante. São mais de 3 milhões de professores. Somos a maior rede de Educação da América Latina, estamos lançando diversos programas para a melhoria da aprendizagem, que é nosso foco e objetivo final, e sabemos que para melhorar os indicadores educacionais e colocar protagonismo nos estudantes também é preciso melhores condições de infraestrutura. Por isso estamos estabelecendo um conjunto de atas e ações para apoiar as escolas”, pontua Renilda Peres.

O Inova Educação será posto em prática a partir de 2020 para os anos finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio.

Comentários