Jornal Tribuna Ribeirão

Especialista dá dica: “Desconfie sempre!”

Se por um lado as empre­sas e indústrias se adaptaram ou estão se adaptando à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e consequentemen­te melhorando e ampliando seus sistemas de segurança digital, por outro, empre­sários estão cada vez mais suscetíveis a golpes. É o que constata o Centro Nacional das Indústrias do Setor Su­croenergético e Biocombus­tíveis (CEISE Br), entidade de classe representativa das indústrias e prestadores de serviços, dedicados ao for­necimento de equipamentos, produtos e serviços para o se­tor sucroenergético nacional e internacional, localizada em Sertãozinho.

A entidade diz que em razão da LGPD vem há mais de dois anos, trabalhando a conscientização das indús­trias, das empresas, promo­vendo palestras, workshops e trazendo empresas parceiras na área de segurança digital.

“As indústrias têm in­vestido bastantes nesse se­tor. Porém, infelizmente o CEISE Br vem sendo noti­ficado por empresários que vêm sendo vítimas de gol­pes digitais em seus equipa­mentos pessoais (celulares, e-mails e etc.) que não estão blindados dentro do sistema da empresa”, diz o Centro por meio de sua assessoria.

Segundo a entidade, os empresários são orientados a conscientizar seus familiares e pessoas mais próximas para não realizarem transferências de qualquer quantia de di­nheiro. Também orientam a fazer um boletim de ocorrên­cia na Polícia Civil.

Um dos empresários vi­timados por golpes, três em um curto espaço de tempo, que teve a identidade não re­velada por questões de segu­rança, disse que os “golpes se tornaram muito frequentes e variáveis e precisamos estar sempre atentos, tanto na em­presa como nas pessoas físi­cas, inclusive dos familiares”.

“O fato que aconteceu co­migo foi que, na empresa es­tamos sempre aprimorando nosso sistema de segurança dos dados e antivírus, porém na pessoa física demos uma brecha e os hackers pegaram uma foto da minha rede so­cial e encaminharam uma mensagem para meus fami­liares utilizando esta foto, porém com um número di­ferente em um aplicativo de mensagens, e na conversa pe­diram o link do banco e uma quantia em dinheiro. Não ti­veram êxito no golpe, porque o meu familiar estava sem sinal e entrou em contato via um telefone fixo. Mas não fui o único da família a sofrer esse tipo de golpe, minha es­posa e sogra também foram vítimas. Então devemos sim nos proteger, cuidar das nossas redes sociais e dos nossos familiares, principal­mente os mais velhos para que não caiam em golpes, ou que sejam vítimas dessa situ­ação”, acrescenta.

Palestra com especialista
Por conta dessa demanda, o CEISE Br levará à entidade um especialista para falar so­bre esses tipos de ataques. A palestra sobre Segurança Di­gital para Organizações, Ne­gócios e Indivíduos será com André Bononi, na próxima terça-feira, dia 18, às 15h30.

Bononi é especialista em Engenharia de Software, com pós-graduação em Compu­tação Forense e Perícia Digi­tal, tem dois MBAs pela FGV: Gestão Empresarial e Gestão Industrial e Perito Forense Digital pelo TJSP. E auxilia a organizações, negócios e indivíduos em vários casos com relação a Análise de Sis­temas, Crimes contra Pro­priedade Intelectual, Clona­gem de Cartões, Datacenters, Vazamento de Informações, Cyber Crimes dentre diver­sos temas que abordam o Mundo Digital.

O palestrante discutirá dentro do tema principal, tó­picos como: Transformação Digital e Movimentação para o digital, O Metaverso, Segu­rança Digital para Organiza­ções, Negócios e Indivíduos, Definição de Hacker, Tipos de Ataques Hackers e como se defender, Casos reais com Organizações, Negócios e In­divíduos e Recomendações para defesa e segurança do seu patrimônio digital.

Ao Tribuna, Bononi dis­se que existem muitos tipos de ataques por meio digital, mas um dos mais comuns atualmente é o sequestro de dados em empresas. “E neste caso se a empresa não tem um backup, ela perde todos os dados. Existe tam­bém o golpe do boleto falso, o hacker mandou um boleto idêntico aos de terceiros e a empresa, às vezes, não tem como obter essa informação de ser falso, e acaba pagando, entre outros golpes”.

O especialista afirma que em referência à pessoa física, a clonagem de redes sociais é mais utilizada. “Com a clona­gem, ele tem acesso a todos os seus SMS para troca de senha e assim, eles realizam a troca de senha e ficam com a conta em sua gerência. Este tipo de golpe envolve tanto a vítima quanto as pessoas que ela tem acesso em suas redes sociais. Outro golpe também muito utilizado hoje em dia, é o ataque em carteiras de criptomoedas. Os golpistas realizam o saque das moedas que estão aplicadas. O meio digital está muito utilizado para os golpes hoje em dia”.
Quando foi pedido para ele dar uma dica, a resposta foi simples e direta: “A me­lhor dica: desconfie sempre!”.

Mais notícias

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
AllEscort