ALFREDO RISK

A duplicação da avenida Antônia Mugnatto Marinceck, a popular “Estrada das Palmei­ras”, principal via de acesso ao complexo de bairros do Ribei­rão Verde, na Zona Leste, deve ficar pronta somente em junho. As chuvas que caíram na cidade em outubro atrasaram o cro­nograma. A previsão da Tecla Construções, que em 2017 as­sumiu a intervenção depois que a prefeitura cancelou o contrato com a Prime Infraestutura, era entregar as obras em dezembro, seis meses antes do prazo pre­visto em contrato, mas o tempo não ajudou.

Segundo o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos do Instituto Nacional de Pesqui­sas Espaciais (CPTEC/Inpe), em 24 de outubro o acumulado de chuva foi de 21,89 milímetros. Foi oi outubro mais chuvoso em 20 anos, desde 1998, com registro acumulado de 186,057 mm. Em 2006 chegou a 154,138 mm. Em 31 dias foram 50 mm acima da média climatológica para o perí­odo. Para cada dia de chuva, são mais três sem obra.

Em 2017, a administração municipal rompeu, unilateral­mente, o contrato com a Prime Infraestrutura, que venceu a licita­ção, mas cumpriu menos de 10% do cronograma – 8,2%. A inter­venção teve continuidade porque a terceira empresa habilitada pela comissão de licitação, em abril de 2016, para execução do projeto de duplicação da via, a Tecla Cons­truções, aceitou, em 13 de novem­bro daquele ano, prosseguir com as obras. A construtora é a mesma que realizou a polêmica reforma do calçadão.

A empresa havia se compro­metido a entregar as obras de pa­vimentação e duplicação da aveni­da Antônia Mugnatto Marincek, entre a Rodovia Anhanguera e rua José Malvaso, em 18 meses, contando a partir da data da assi­natura do contrato, mas reduziu o prazo em seis meses, que não foi cumprido por causa das chuvas. Mesmo assim, o Tribuna apurou que a Tecla fará um esforço para concluir a intervenção entre abril e maio, mas vai depender do clima.

A duplicação da avenida é uma das obras executadas com re­cursos do Programa de Acelera­ção do Crescimento II – PAC da Mobilidade Urbana, com inves­timento total de R$ 310 milhões. A Prime Infraestutura venceu o certame ao apresentar o menor valor, de R$ 25,3 milhões. A obra estava orçada inicialmente em R$ 35,9 milhões. A empresa recebeu da prefeitura R$ 2,23 milhões. Ou seja, a administração municipal está investindo mais R$ 23,07 milhões na duplicação, ago­ra sob responsabilidade da Tecla Construções, que vai terminar os 91,8% restantes.

Duplicação
A duplicação da avenida Antonia Mugnatto Marincek, a popular “Estrada das Palmeiras”, está sendo feita entre a Rodovia Anhanguera e a rua José Malva­so, no Jardim Antônio Palocci, beneficiando cerca de 80 mil mo­radores. Os mais de quatro qui­lômetros da avenida vão receber urbanização completa, que inclui duplicação da via, pavimentação, ciclovia, bancos, lixeiras, abrigos em ponto de ônibus, rampas, calçadas e paisagismo. A avenida também contará com infraestru­tura completa com a instalação de redes de água, esgoto e galerias de águas pluviais.

Comentários