Etanol recua mais 1,08% nas usinas

0
42

O preço do etanol caiu pela terceira semana seguida nas unidades produtoras do estado. Segundo dados divulgados na sexta-feira, 3 de julho, pelo Cen­tro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universida­de de São Paulo (Esalq/USP), o hidratado nas usinas paulistas baixou para menos de R$ 1,60 depois de um mês.

O litro do produto, que quase chegou a R$ 2,15 no final de fevereiro e passou a maior parte de março, abril e maio na casa de R$ 1,30, agora baixou de R$ 1,6166 para R$ 1,5992, queda de 1,08%. O álcool combustível acumula retração de 4,57% desde 19 de junho, depois de alta acumulada de 25,84% entre o início de maio e meados do mês passado.

O preço do anidro – adi­cionado à gasolina em até 27% – caiu 2,42%, mais ainda está cima de R$ 1,80. Acumu­la queda de 2,69% em 15 dias, depois de alta acumulada de 21,42% nas oito semanas an­teriores a 26 de junho. Na sex­ta-feira, recuou de R$ 1,8712 para R$ 1,8260.

O preço da gasolina vendi­da nas refinarias da Petrobras foi reajustado em 5% no dia 20. O anúncio foi feito pela com­panhia que também divulgou aumento médio de 8% para o diesel vendido às distribuido­ras. Essa foi a terceira vez que a gasolina teve o preço reajus­tado em junho. O primeiro foi no dia 1º e o segundo no dia 9.

De acordo com a Petro­bras, o produto abastece, atu­almente, cerca de 60% dos ve­ículos de passeio no Brasil. Já o diesel tem a primeira alta do mês. O anterior tinha sido no dia 27 de maio. Segundo a Pe­trobras, o consumo de diesel automotivo se restringe basi­camente ao setor agrícola e de transporte rodoviário, setores de extrema importância para a economia do país.

Com o aumento de 8%, que representa R$ 0,12 por li­tro, o preço médio do diesel da Petrobras para as distribuido­ras passou a ser de R$ 1,63 por litro. No acumulado do ano, a redução do preço é de 30,2%. Na gasolina, o preço médio da gasolina da Petrobras para as distribuidoras passou a ser de R$ 1,53 por litro, conside­rando a alta de 5%, ou R$ 0,07 por litro. No acumulado do ano, o produto tem queda de 20,2% no preço.

Pelos dados da Petrobras, em 2020, a gasolina teve 19 reajustes sendo sete aumentos e doze reduções de preços, en­quanto para o diesel foram 14, entre eles, três elevações e onze quedas de preços. De acordo com o levantamento semanal da Agência Nacional do Pe­tróleo, Gás Natural e Biocom­bustíveis (ANP), realizado em 108 cidades paulistas entre 28 de junho e 4 de julho, todos os combustíveis estão mais bara­tos em Ribeirão Preto.

O litro da gasolina custa R$ 3,779, o etanol é vendido por R$ 2,399, o diesel sai por R$ 3,011 e o diesel S10, por R$ 3,141. Considerando os atuais valores médios da agência, ain­da é mais vantajoso abastecer com o derivado de cana-de­-açúcar, já que a paridade está em 63,5% – deixa de ser van­tagem encher o tanque com o derivado da cana-de-açúcar a relação chega a 70%.